BNB oferece renegociação de dívidas atrasadas

Descontos para quitação do débito podem chegar a até 90% e vencimento final do parcelamento pode ser alterado

24 de janeiro de 2024 às 21h07

img
A ação do banco de fomento pode beneficiar 23 mil empreendedores rurais e urbanos de Minas, em 32 mil operações | Crédito: BNB/Divulgação

O Banco do Nordeste (BNB) – maior banco de desenvolvimento regional da América Latina – está oferecendo a possibilidade de renegociação de dívidas em atraso para mais de 23 mil empreendedores rurais e urbanos de Minas Gerais. De acordo com a instituição financeira, os descontos podem chegar a até 90% em caso de quitação. A oportunidade é válida para 32 mil operações no Estado.

Para os interessados em parcelar a dívida, o vencimento final pode ser reprogramado até novembro de 2032. As vantagens são concedidas a pessoas físicas e jurídicas com dívidas contratadas com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) há mais de sete anos. Os benefícios estão normatizados na Lei nº 14.554/2023 e valem para operações em situação de inadimplência desde 31 de outubro de 2021.

O superintendente estadual do BNB em Minas Gerais, Wesley Maciel, destaca que, com a renegociação, o cliente regulariza também suas pendências cadastrais com a instituição. “A legislação oferece ao empreendedor a oportunidade de estar novamente em dia com o Banco do Nordeste e voltar a conduzir o seu negócio com tranquilidade”, observa.

O público beneficiado com a ação contempla agricultores familiares, mini e pequenos produtores rurais e micro e pequenas empresas. O prazo da lei termina em 24 de abril deste ano.

Ao regularizar sua dívida em atraso, o cliente do BNB tem seu saldo devedor recalculado com base no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Outra vantagem, conforme o BNB, é a oferta de bônus de adimplência de até 50% sobre o valor principal renegociado. Nesse caso, os novos encargos serão os mesmos praticados para novas operações com recursos do FNE e o pagamento será realizado em parcelas mensais (operações não rurais) e anuais (operações rurais). Para quitação, os descontos são de 60% a 90% e os pagamentos devem ser feitos à vista.

Investimentos

Neste ano, conforme noticiado pelo DIÁRIO DO COMÉRCIO, o BNB deve investir R$ 2,4 bilhões nos setores produtivos de Minas Gerais via FNE. O valor representa 6,52% de todo o orçamento do fundo, do qual o banco público nordestino é o único operador.

Além dos recursos do FNE aprovados pelo Conselho Deliberativo da Sudene (Condel), o banco terá mais R$ 500 milhões à disposição do Estado por meio do seu programa de microcrédito urbano, o Crediamigo.

Do FNE, a pecuária detém a maior parte dos investimentos aprovados no Estado: R$ 875,3 milhões. Em seguida, o setor da infraestrutura receberá R$ 535,1 milhões. A agricultura é o terceiro principal destino, com R$ 498,3 milhões. Comércios e serviços, localizados na área que a instituição atua em Minas, serão contemplados com R$ 372,7 milhões. Outros R$ 151,2 milhões serão destinados ao setor industrial.

Para a energia solar residencial em Minas, o BNB reservou R$ 12,2 milhões. O setor de turismo terá à disposição R$ 9,7 milhões e a agroindústria R$ 7,1 milhões. Outros R$ 5,7 milhões do orçamento do FNE para Minas estarão disponíveis para financiamento estudantil por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail