Em dia de balanços, Ibovespa fecha em queda com Petrobras e Vale

O índice caiu 0,15 %, a 128.025,7 pontos na sexta, mas acumulou na semana alta de 0,66%

9 de fevereiro de 2024 às 21h08

img
Crédito: Adobe Stock

São Paulo – O Ibovespa fechou em queda nesta sexta-feira, pressionado principalmente pela queda das ações da Petrobras e da Vale, com agentes financeiros repercutindo também uma nova bateria de notícias corporativas, incluindo resultado e previsões do Banco do Brasil.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,15 %, a 128.025,7 pontos, mas acumulou na semana alta de 0,66%. Na máxima do dia, chegou a 128.895,67 pontos. Na mínima, marcou 127.579,4 pontos.

O volume financeiro somou R$ 23,76 bilhões, em véspera de feriados no Brasil, com a B3 retomando os negócios apenas na quarta-feira.

“O índice precisa superar os 130.500 pontos para retomar o movimento de alta e buscar as regiões de 132.000 e a máxima de dezembro, em 134.400 pontos”, afirmaram analistas do Itaú BBA no relatório Diário do Grafista nesta sexta-feira.

“Do lado da baixa, a região de 126.400 pontos é o sinal de alerta para o investidor. Se perder esse suporte, o índice sairá da tendência de alta e encontrará próxima importante região em 124.800 pontos, outro ponto crucial que se perdido, poderá dar início à primeira tendência de baixa de curto prazo em 2024.”

Em Wall Street, o S&P 500 avançou 0,57% e fechou acima da marca dos 5 mil pontos pela primeira vez, embalado pelas chamadas ações “megacap”, entre elas Nvidia, em movimento ainda endossado por resultados fortes e revisões modestas de dados de inflação de 2023.

“A bolsa brasileira, por outro lado, não conseguiu se aproveitar do bom humor externo diante dos desempenhos negativos de Vale e Petrobras”, afirmou a Guide Investimentos em nota a clientes.

Confira os destaques da Bolsa, com Vale e Petrobras

  • PETROBRAS PN recuou 1,34%, a 41,30 reais, apesar da alta dos preços do petróleo no exterior, com o barril de Brent encerrando com acréscimo de 0,69%. Fontes afirmaram à Reuters que o Ministério de Minas e Energia enviou à companhia ofício indicando a recondução dos seis membros que representam a União no conselho de administração da petrolífera;
  • VALE ON caiu 0,44%, a 65,92 reais, sem a referência dos futuros do minério de ferro na China, com a Dalian Commodity Exchange fechada em razão de feriado no país asiático. Na véspera, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar a Vale, cobrando ações de reparação e compensação por rompimentos de barragens de rejeitos de minério de ferro em Minas Gerais e defendeu a realização de um “acordo justo” por Mariana;
  • ITAÚ UNIBANCO PN fechou em alta de 1,27%, a R$ 34,29.
  • BRADESCO PN caiu 0,74%, a R$ 13,46, com agentes financeiros ainda digerindo os resultados e projeções de ambos apresentados nessa semana;
  • BANCO DO BRASIL ON cedeu 1,66%, a R$ 57,57, mesmo após lucro acima do esperado pelo mercado no quarto trimestre, previsões para 2024 consideradas “sólidas” por analistas e aumento no payout para o ano corrente. Os papéis tinham atingido máximas históricas mais cedo na semana, em parte na expectativa pelos resultados;
  • PETROLEUM ON perdeu 3,82%, a R$ 28,19. Na noite da véspera, a petrolífera disse que recebeu carta da acionista Maha Energy solicitando a convocação de assembleia geral extraordinária (AGE) para destituir os atuais membros do conselho de administração. A Maha possui uma participação acionária equivalente a 5% do capital social da 3R;
  • ALPARGATAS PN subiu 7,48%, a R$ 8,62, em dia de forte ajuste, revertendo as perdas acumuladas em fevereiro até a véspera, de 6,53%. Em janeiro, os papéis já tinham recuado mais de 15%. A dona da marca Havaianas reportou na última quarta-feira um prejuízo líquido consolidado de R$1,6 bilhão no quarto trimestre, após prejuízo de 21 milhões de reais um ano antes;
  • MULTIPLAN ON caiu 3,01%, a R$ 26,43, uma vez a companhia reportou Ebitda de R$ 393,1 milhões no último trimestre de 2023, resultado abaixo das previsões de analistas, de R$ 463,5 milhões, segundo dados da LSEG;
  • SÃO MARTINHO ON encerrou com declínio de 2,74%, a R$ 26,64, conforme seu lucro líquido caiu 51%, para R$ 210,6 milhões no terceiro trimestre da safra 2023/24 (outubro/dezembro);
  • MRV&CO ON avançou 6,87%, a R$ 7,16, em dia de recuperação, após fechar em baixa de quase 9,5% na véspera. Analistas do Itaú BBA afirmaram que o tombo criou um ponto de entrada atrativo para investidores buscando adicionar beta a seus portfólios.

Tags:
Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail