Itaú emite dívida de R$ 1 bi após comprar prédio mais caro do Brasil

Do total da dívida, R$ 530 milhões têm vencimento em fevereiro de 2034

2 de fevereiro de 2024 às 13h53

img
Crédito: Adobe Stock

São Paulo- O Itaú Unibanco anunciou nesta sexta-feira (2) que emitiu R$ 1 bilhão em letras financeiras -título de dívida-, com recursos sendo direcionados para aquisição de empreendimento imobiliário, segundo comunicado ao mercado.

Do total, R$ 530 milhões têm vencimento em fevereiro de 2034 e R$ 470 milhões, em fevereiro de 2039, afirmou o banco.

As letras têm opção de recompra a partir de 2029 e 2034, respectivamente.
A emissão vem cerca de um mês após a compra à vista do imóvel onde fica o Itaú BBA em São Paulo, por R$ 1,5 bilhão.

As Letras Financeiras foram subscritas pela Opea Securitizadora, que, por sua vez, emitiu Certificados de Recebíveis (CRIs) lastreados nas letras emitidas pelo banco. Os CRIs foram distribuídos através de oferta pública registrada automaticamente perante a CVM e destinada a investidores qualificados e
profissionais.

Prédio mais caro do Brasil

Em dezembro de 2023, o Itaú Unibanco comprou por quase R$ 1,5 bilhão o prédio que alugava da Brookfield, na avenida Faria Lima, centro financeiro na cidade de São Paulo. A aquisição de R$ 1.458.870.160,00 foi feita à vista.

Segundo Giancarlo Nicastro, presidente da SiiLA (consultoria do mercado imobiliário comercial), se trata do maior valor de venda de um ativo único no Brasil.

O edifício foi construído pela americana Tishman Speyer para o banco, que sempre foi o único inquilino do imóvel. Ele ficou pronto em 2014, quando foi vendido para um fundo imobiliário da Brookfield fechado ao mercado. Vencido o contrato inicial de dez anos de aluguel, a instituição financeira tomou a posse.

Segundo Nicastro, da SiiLA, a operação foi financeiramente vantajosa para ambas as partes. “O Itaú pagava R$ 371 por metro quadrado no aluguel, o mais caro de São Paulo, algo fora da realidade”, diz.

De acordo com a SiiLA, a média do aluguel de uma das regiões mais valorizadas do Brasil é de R$ 280 por metro quadrado.

O Faria Lima 3500 fica de frente para o edifício com o maior valor por metro quadrado do país, o Pátio Victor Malzoni, onde estão Google e BTG Pactual.

Em outubro de 2023, um andar com 1.372 metros quadrados do prédio foi arrematado por R$ 96 milhões, o que equivale a R$ 70 mil por metro quadrado, apontam dados da SiiLA.

A área privativa total do imóvel do Itaú BBA é de 22.786 metros quadrados, com garagem e seis andares de escritórios. Pela transação, cada metro quadrado vale cerca de R$ 64 mil.

Já a holding do Itaú Unibanco fica no Jabaquara, em São Paulo.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail