Ceduc lança projeto em reunião do MM 2032

26 de março de 2022 às 0h30

img
Crédito: Divulgação

Integrante do “Movimento Minas 2032 (MM2032) – pela transformação global”, liderado pelo DIÁRIO DO COMÉRCIO, em parceria com o Instituto Orior, o Centro de Educação para o Trabalho “Virgilio Resi” – Ceduc Virgílio Resi (CVR) – , há 17 anos trabalha para a inclusão de jovens em situação de vulnerabilidade social no mercado de trabalho através da formação profissional. Nesse tempo, mais de 12 mil aprendizes passaram pela instituição.

Os impactos da Covid-19 ainda se mostram presentes no cotidiano dos jovens assistidos de maneira singular e mesmo que a vacinação tenha avançado e a pior fase da pandemia pareça superada, a experiência do adoecimento planetário, marca indelevelmente a vida dos profissionais e dos adolescentes do Ceduc.

E é nesse contexto que nasce mais um projeto do CVR, apresentado na reunião mensal do Movimento Minas 2032. O “É tempo de Educar” vai atender 90 alunos.

O MM 2032 propõe uma discussão sobre um modelo de produção duradouro e inclusivo, capaz de ser sustentável, e o estabelecimento de um padrão de consumo igualmente responsável, com base nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), promovidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) desde 2015.

De acordo com a fundadora e diretora e do Ceduc VR, Elenice de Oliveira Matos, faz parte dos princípios da instituição dialogar com os ODS, levando o tema para os jovens, incentivando-os a assumirem a sua responsabilidade na busca de um mundo mais equilibrado, que caminhe na direção do equilíbrio de oportunidade para as pessoas e relação respeitosa e sustentável com a natureza e os demais indivíduos.

“Dedicamos 2022 ao tema do autocuidado e trabalho protegido. Com a pandemia, nos deparamos com uma situação alarmante. Três em cada cinco dos nossos jovens fizeram uso de medicamentos em algum momento durante a pandemia, uma situação de adoecimento muito grande. O objetivo do projeto é fortalecer a juventude por meio do autocuidado, protegendo também os direitos de cidadania, para que sejam capazes de se tornarem lideranças na defesa das políticas públicas voltadas para a juventude”, explica Elenice Matos.

O projeto se assenta sobre três eixos. Dentro de cada um – com 30 alunos – será dada uma formação técnica e gerado um produto que será compartilhado com a comunidade e instâncias e entidades que monitoram e atuam na construção de políticas públicas para a juventude. O valor total do projeto é de R$ 225 mil, em fase de captação de recursos.

No primeiro eixo,  “Acessibilidade e cidadania”, será dada uma formação técnica em cinema e vídeo para a produção de um documentário com foco em saúde física e emocional. Entre os objetivos estão: ampliar o acesso às políticas de saúde e lazer através do autocuidado e a promoção de atividades físicas e de leitura também como instrumento de autocuidado.

No segundo, “Trabalho protegido e igualdade de gênero”, a formação será em fotografia, gerando uma exposição fotográfica digital. O foco estará nas relações sociais e existenciais que permeiam as relações de gênero no mundo do trabalho.

Por fim, no eixo “Empreendedorismo e renda”, formação em marketing digital com foco em empreendedorismo juvenil. Cada jovem que já exerce uma atividade empreendedora ou tem uma ideia de negócio vai elaborar seu próprio planejamento em marketing e vendas.

“Queremos aperfeiçoamento da educação profissional oferecida aos aprendizes. Buscamos também o fortalecimento das articulações institucionais para a garantia de iniciativas e políticas públicas de formação profissional, trabalho protegido, inclusão no mercado de trabalho e geração de renda”, afirma a fundadora do Ceduc VR.

O projeto, assim como todo o trabalho do Ceduc VR dialoga diretamente com os ODS, mas alguns com maior profundidade. Nove deles foram destacados pela fundadora da ong que atende jovens em vulnerabilidade social da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH):

ODS: 1: Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares.

ODS 3: Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todas e todos, em todas as idades.

ODS 4: Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todas e todos.

ODS 5: Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.

ODS 8: Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todas e todos.

ODS 10: Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles.

ODS 11: Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.

ODS 16: Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis.

ODS 17: Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail