Brasileiro desenvolve solução 100% conectada à internet

30 de maio de 2019 às 0h04

img
Gaia é um modelo intermediário entre uma moto e um carro - Crédito: Divulgação

São Paulo – Com o objetivo de acelerar a adoção do transporte sustentável na América Latina, Na Gaia Electric Motors, empresa inovadora que oferece soluções de mobilidade elétrica, traz para o mercado um veículo que se difere dos existentes.

Apresentado durante a Automotive Business Experience (ABX) 2019, em São Paulo, o Gaia vem como uma tecnologia embarcada que o permite estar sempre conectado à internet. Essa conectividade inaugura uma nova categoria de transporte, transformando o veículo em uma plataforma compartilhável capaz de levar diversos serviços aos usuários.

Intermediário entre uma moto e um carro, possui três rodas e uma estrutura parcialmente aberta, o que oferece a segurança necessária para tráfego inclusive em rodovias. Foi projetado para ser mais leve do que os automóveis comuns, viabilizando uma motorização elétrica por um valor mais acessível do que existe no País. Com traços futuristas, desenhados por um escritório polonês especializado em veículos esportivos, a Gaia aposta no público jovem que está cada vez mais substituindo a posse de veículos de alto custo por serviços compartilhados. Por estar conectado à internet e possuir aplicativo próprio, a solução é capaz de prover a infraestrutura em hardware e software para atender essa demanda.

O veículo não possui chave física, portanto, dividir o acesso com outras pessoas é mais simples, já que pode ser feito por e-mail ou WhatsApp. O proprietário consegue eliminar a ociosidade do veículo, pois o mesmo se adéqua a diversos perfis de uso, seja pelo proprietário ou pessoas autorizadas por ele.

Além disso, o Gaia é sustentável, já que não depende de infraestrutura de recarga urbana – é carregado em uma tomada comum. Com uma carga de oito horas seguidas, o veículo tem autonomia para circular por aproximadamente 200 km, com um custo médio de R$ 8, sendo 20 vezes mais eficiente do que a gasolina, por exemplo.

Segundo dados mais recentes do Instituto de Energia e Meio Ambiente (Iema), em 2017, os automóveis comuns de passeio foram responsáveis por quase 75% da emissão dos gases poluentes na atmosfera da cidade de São Paulo, o que os tornam principais causadores de complicações respiratórias na população. O Gaia é uma alternativa que vai viabilizar hoje a adoção da mobilidade limpa, já que pode ser fabricado por aproximadamente metade do preço de um automóvel elétrico no Brasil.

Para conduzi-lo é necessária a habilitação na categoria A, pois segundo a legislação brasileira, o veículo é considerado uma motocicleta, mesmo tendo o porte e o aspecto muito parecido de um automóvel de passeio. A classificação também auxiliou a reduzir o valor, uma vez que motocicletas possuem incentivos fiscais no pólo industrial de Manaus-AM, onde a empresa está se estabelecendo para montar o produto.

O fundador e CEO da Gaia Electric Motors, Ivan Gorski, foi executivo de grandes companhias americanas de tecnologia, decidindo, em abril de 2018, se dedicar a construir uma empresa de capital brasileiro que atendesse a demanda por mobilidade elétrica acessível. O executivo defende que a geração Y (ou Milleniums, como são chamados na indústria de tecnologia os jovens nascidos próximos à virada do século XXI) não faz questão de possuir um bem de luxo como um automóvel e que, portanto, o veículo deve se tornar um bem impessoal, compartilhável, e que ainda tem a vantagem de ser sustentável – uma preocupação também latente desta geração.

Segundo Gorski, “a Gaia deve se tornar grande protagonista da mobilidade no País, uma vez que fornece soluções tanto para empresas que queiram oferecer serviços, quanto para clientes finais. Ela também aborda o mercado no momento propício, com um veículo muito tecnológico. Queremos liderar essa transição, pois falamos a língua da geração conectada. Estamos entrando em uma indústria que é bastante tradicionalista, o que vemos como uma grande oportunidade. Nosso plano é construir um negócio de R$ 1 bilhão em 5 anos, uma vez que a indústria automotiva atual tem avançado lentamente sobre a geração jovem. Seremos então a opção natural de transporte da próxima geração”.

Abordando os negócios, a empresa foi fundada em 2018 e já passou por duas rodadas de investimentos, atingindo valorização de R$ 10 milhões, em 18 meses. Para Gorski, o mercado está passando por uma transformação cultural promovida pelo avanço da tecnologia e grandes transformações podem acontecer em um curto período de tempo, no qual muitas empresas tradicionais podem desaparecer.

“Na Gaia, tive o privilégio de construir um time internacional, embora a empresa seja brasileira, e reunir muita tecnologia de vanguarda para ser embarcada em nosso hardware e software. Nos próximos meses, quero elevar a plataforma existente para um nível de escala nacional, gerando muitos negócios no País”, finaliza.

A empresa aposta no modelo de vendas diretamente para empresários e investidores que queiram construir a infraestrutura de serviços de mobilidade em suas regiões.

Para consumidores interessados em adquirir o veículo, a empresa já disponibilizou em seu site uma área onde os clientes podem fazer uma pré-reserva e garantir prioridade nos primeiros lotes, mediante o pagamento uma taxa indenizável de R$ 300: http://gaiaelectric.com.br/.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail