Fazenda Paciência oferece lazer cultural e histórico em Minas

Construído em 1742, em uma área de 200 hectares no município de Santana dos Montes, local foi totalmente restaurado

22 de dezembro de 2022 às 12h14

img
O enorme casarão branco, de janelas e portas azuis, é um convite para quem precisa fugir do estresse das metrópoles | Crédito: Divulgação/Black Panda Estúdio

É difícil eleger a melhor característica, entre tantas, da Fazenda Paciência, localizada em Santana dos Montes, na região Central de Minas. O enorme casarão branco, de janelas e portas azuis, rodeado com calçamento de pedra pé-de-moleque, é um convite para aqueles que precisam fugir do estresse da cidade grande. E espaço não falta.

A Fazenda Paciência tem 200 hectares, sendo 3 mil metros de área construída, e 13 suítes, boa parte delas com vista para o lago, com decoração vintage rural, sofisticadas e confortáveis. Um convite à natureza, encantos, mistérios, culinária-raiz, requinte e história, muita história. Recém-inaugurado, o hotel-fazenda já não tem vaga para o Réveillon.

Construída por Barão de Queluz em 1742, a Fazenda Paciência pertenceu aos descendentes de sua família durante muitos anos. Hoje, adquirida e capitaneada pelo advogado tributarista e, também, “contador de causos” e “violeiro”, Vinícios Leôncio, foi totalmente repaginada, sem perder o charme do século 18. “Comprei a fazenda em 2001 e, desde então, venho me dedicando à sua restauração.”

Vinícios Leôncio já fez várias intervenções no hotel-fazenda, tudo para proporcionar ao visitante uma experiência única de história e cultura. “Meu objetivo é oferecer lazer cultural, resgatando toda a história escravagista, indígena e política não só de Minas Gerais mas do Brasil.”

Pensando nisso, ele construiu, por exemplo, a réplica de uma senzala onde viviam os escravos, com utensílios de tortura usados na época; trouxe da Bahia uma canoa de madeira da tribo Pataxó; organizou um minimuseu com peças que remontam à história do Brasil, como uma máquina de lavar roupa da década de 30 feita em madeira, banheiras de louça, relógios de pêndulo, radiolas entre outros.

Ele também construiu uma réplica da casa de Nazaré, semelhante à que Jesus Cristo viveu e teria celebrado a última ceia. “Durante todos esses anos, pesquisei e fui adquirindo itens para que pudesse abrir a fazenda com toda essa riqueza histórica.”

Culinária

A gastronomia da Paciência, sob o comando das cozinheiras Rosana e Taiseane (Tata), é um capítulo à parte e que, com certeza, o hóspede vai se encantar. Em homenagem à cultura afro-brasileira, todos os pratos são baseados na cozinha africana, mas nada que fuja ao paladar do mineiro. “Moçambique foi o país que mais exportou escravizados para o Brasil e, pensando neste resgate, já que estamos falando de uma fazenda dessa época, elaboramos o cardápio com todo cuidado, de forma que remetesse a essa história”, se orgulha Vinícios Leôncio.

Além da parte histórica, o visitante pode desfrutar de três piscinas aquecidas de água natural, uma delas coberta e com hidromassagem, sauna e pista de boliche profissional, passeio a cavalo, pesca esportiva e trilha ecológica. E fica a dica: um dos anfitriões da fazenda, o irmão de Vinícios, Javert Leôncio, não mede esforços para conduzir o visitante por todas as atrações do hotel-fazenda. “Cada detalhe aqui foi pensado para fazer com que o turista esqueça a vida na cidade grande e se entregue às benesses que a natureza oferece”, disse ele, em uma caminhada pelas ruelas que levam à sede da fazenda. No local também existe uma tirolesa e um salão de jogos, além de um touro mecânico e a sinuca jogada com os pés.

Legislação brasileira

E quando você acha que conheceu tudo por lá, um dos galpões da fazenda abriga um dos maiores livros do mundo. Com 7,5 toneladas, mais de 41 mil páginas e 2,10 metros de altura, o “Pátria Amada”, elaborado por Vinícios Leôncio, reúne a legislação tributária do País em um único livro.

“A ideia é alertar a sociedade para a necessidade de mudança na legislação atual, imensa, que gera grande insegurança jurídica. É um entrave na vida do cidadão”, denuncia. O autor investiu cerca de R$ 1 milhão, com recursos próprios, para editar o livro, “sendo mais de 30% desse montante gasto com tributos”, reforça.

Como “granfinale”, Vinícios Leôncio, nascido em Iguatama, Centro-Oeste de Minas, proporcionou aos hóspedes, naquela noite, muitos “causos” ao som da viola de 12 cordas. “Sobre minha infância e início da adolescência, era uma vida muito simples, sofrida, por isso saí de casa aos 16 anos. Mas não foi fácil. Morei na rua em Belo Horizonte. Vida na rua não tem moleza.” Foi daí que surgiu, nos anos 80, a oportunidade de tentar a vida na Serra Pelada, localizada no Pará.

“A gente vai apostando que vai dar tudo certo. Eu era muito novo. Aos 18 anos, não se tem muita noção do que vale ou não a pena. As condições de trabalho eram muito precárias, calor intenso, risco de desabamento dos barrancos de onde eram garimpados o ouro. Peguei malária. Mas, apesar de todos esses fatores, trabalhávamos dia e noite na esperança de enriquecer.”

Ainda sobre sua passagem pela Serra Pelada, Vinícios Leôncio lembrou do dia em que a Gretchen cantou para mais de 60 mil garimpeiros. “Ela era uma menina, acho que não tinha noção que se apresentaria para tanta gente.” A passagem dele na Serra Pelada, porém, não durou muito tempo. “Fiquei lá dois – longos – anos. Era terra sem lei. Caçávamos para sobreviver. Não era fácil, não ganhei dinheiro. Não era para mim.”

Aos 22 anos, Vinícios Leôncio começou a estudar contabilidade e, na sequência, prestar serviços na área. Aos 25 anos, se matriculou na Faculdade de Direito do Oeste de Minas (Fadom), em Divinópolis, na região Centro-Oeste. “Como tinha aulas só duas vezes por semana, eu podia conciliar com meu trabalho e residir em Belo Horizonte”, lembra o advogado.

SERVIÇO

Fazenda Paciência

Local: Zona Rural – Santana dos Montes

Tarifário: de segunda a quinta-feira, a diária com pensão completa (café da manhã, almoço e jantar) para o casal sai a R$ 650; de sexta a domingo, a diária para o casal sai a R$ 980; o pacote para fim de semana, de sexta-feira a domingo, R$ 1.820. Crianças de 6 a 14 anos pagam 40% do valor da diária.

Informações e reservas: (31) 9-8489-2355 – WhatsApp 

*A jornalista viajou a convite da Fazenda Paciência

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail