Obra expõe os tentáculos do politicamente correto

Em “O império do bem”, autor resgata o que vivemos em todas as esferas sociais

27 de agosto de 2022 às 0h26

img
Philippe Muray: na década de 1990 o achavam alarmista, exagerado, até messiânico | Crédito: Divulgação

Não é de hoje que os tentáculos do politicamente correto estão em nossa sociedade. Já faz tempo que existe um movimento para que o autoritarismo do bem fosse elevado à comportamento padrão, e os avisos e alertas sobre os perigos dessa conduta foram anunciados pelo ensaísta francês Philippe Muray. Na década de 1990 o achavam alarmista, exagerado, até messiânico. Hoje, o que Muray narrou, é o que vivemos em todas as esferas sociais. Bem-vindo ao regime do império do bem.

O selo Avis Rara lançou um dos livros mais aclamados de Philippe Muray, “O império do bem”. Publicado há mais de duas décadas, Murray apontava em seu estudo que o crescimento de um falso moralismo levaria ao poder a tirania e destruiria a razão.

Desde a publicação de “O império do bem” o domínio do politicamente correto cresce sem parar. E o homem contemporâneo vive perdido na ditadura dos clichês, no culto da bondade que avança sobre nossas vidas e vai restringindo nossas liberdades.

Teoria desagradável para alguns, quase profética para outros, Muray lançou uma luz sobre o mundo quando tudo o que previu parecia um olhar pessimista sobre nossas sociedades. O futuro chegou e as profecias se concretizaram. Cabe a nós entendermos todo o processo para tentar impedir o avanço dessa marcha em direção a uma onda cada vez maior do grande e bom autoritarismo

Em “O império do bem” os alvos do autor são todas as formas de autoritarismo disfarçadas de civilidade. Com uma escrita e pensamento extraordinários, a obra de Muray proporciona um verdadeiro alívio nesses nossos dias. Distanciando-se do “totalitarismo dos bons sentimentos”, ele foi capaz de renovar o arsenal cognitivo para descrever o espírito da nossa época e analisar a nova civilização que emergiu no Ocidente na virada da década de 1990 e que se desenvolveu consideravelmente desde então.

Do que Muray tinha medo? Da devoção a um Bem com B maiúsculo que não pode ser questionado, sendo a fonte de inúmeras tolices e o caminho mais curto para novas formas de barbárie. Certamente, o império do Bem nunca deixa de inventar novas modas para arruinar as nossas vidas, impondo o seu ideal de virtude em todos os quadrantes. Pelo menos, Muray nos deixou ferramentas para ridicularizá-lo.

FICHA TÉCNICA

Título: O império do bem
Editora: Faro Editorial – Avis Rara
Nº de páginas: 128
Preço: R$ 34,90

Icone whatsapp

O Diário do Comércio está no WhatsApp.
Clique aqui e receba os principais conteúdos!

Tags:
Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail