Santa Rita do Sapucaí pode ganhar Parque Tecnológico Aberto

Projeto está em desenvolvimento na região desde 2015

13 de junho de 2023 às 7h46

img
Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas Gerais, é conhecida como o Vale da Eletrônica | Crédito: Sebrae Minas

Em desenvolvimento desde 2015, quando o Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica (Sindvel) solicitou ao governo do Estado de Minas Gerais o reconhecimento de Santa Rita do Sapucaí (Sul de Minas) como um Parque Tecnológico Aberto, o projeto aguarda a construção de uma política pública específica.

Em 2021, com apoio do governo estadual, foi realizado um Estudo de Viabilidade Técnica, Comercial, Financeira e de Impacto Social e Ambiental para implantação de parques tecnológicos em Minas Gerais (EVETCIAS), resultando na aprovação do pleito de Santa Rita do Sapucaí, com o efetivo reconhecimento e entrega, pelo governador Romeu Zema (Novo), do Certificado de Reconhecimento do Parque Tecnológico do Município de Santa Rita do Sapucaí.

O projeto inclui o município no Programa de Implantação e Consolidação de Parques e Polos Tecnológicos em Minas Gerais (Proparque). De acordo com o presidente do Sindvel, Roberto de Souza Pinto, o Parque é uma figura jurídica que não se sobrepõe ao Arranjo Produtivo Local (APL) e que facilita o acesso das empresas do polo e instituições às linhas de fomento essenciais para os investimentos contínuos em inovação, pesquisa, produção e desenvolvimento.

“Ainda não existe uma política pública de parque tecnológico em Minas. Então, na constituição dessa política, o governo vai considerar também o parque aberto para qualquer outra região do Estado que tenha ambiente aberto, independentemente do setor. Com relação especificamente ao parque tecnológico do Município de Santa Rita, a partir do momento que o governo nos vê como um parque tecnológico aberto, nos organizamos e construímos a nossa personalidade jurídica. Estamos regulares para Minas Gerais, para o Brasil e para o mundo, podendo criar alianças, parcerias e tudo mais”, explica Souza Pinto.

O Parque não se sobrepõe ao APL, afirmou Souza Pinto | Crédito: Leonardo Morais

Para cumprir sua missão, o Parque está de portas abertas para alavancar a capacidade de inovação das empresas por meio da interação com órgãos governamentais e instituições de pesquisa e desenvolvimento dentro e fora do Brasil. Os contatos com outros parques tecnológicos na Ásia, Europa e Estados Unidos já foram iniciados.

Ao mesmo tempo, em parceria com o Sebrae, está em desenvolvimento o planejamento estratégico para o Parque, já alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), preconizados pela Organização das Nações Unidas (ONU).

“Nossa governança já está alinhada com os ODS. Temos responsabilidades como cadeia produtiva, cobrando e auxiliando uns aos outros. Isso traz ganhos para as empresas, para os produtos e para os consumidores. Se eu estou dentro do negócio, tenho responsabilidades e devo responsabilizar meus parceiros. É claro que essa postura tem impacto econômico, mas é, também, determinante para que sigamos competitivos”, completa o presidente do Sindvel.

Tags:
Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail