A Squadra tem buscado parcerias com empresas líderes de mercado para o lançamento de soluções completas para setores específicos | Crédito: Divulgação/Grupo Squadra

Decidido a completar o portfólio de soluções e se consolidar no mercado paulista com vistas a um desenvolvimento, inclusive, internacional, o Grupo Squadra anunciou a aquisição da Just Digital, grupo especializado em design e experiência de produtos e serviços digitais. Sem revelar valores, o CEO da Squadra, André Ciofi, destaca que essa é a terceira aquisição do grupo nos últimos 18 meses.

Antes, eles adquiriram a Wblio, consultoria estratégica de transformação digital voltada para os resultados de negócios, e a Arkhi, empresa especializada em treinamentos e implementação da cultura de agilidade de negócios.

“Temos 33 anos e, como uma empresa de tecnologia, para sobreviver em um mercado em que tudo que muda – a tecnologia, as regras, os modelos de negócios – o tempo todo, temos que estar muito atentos aos movimentos de mercado. Não podemos nos antecipar sob o risco de não chegarmos ao resultado desejado e nem perder o ‘time’. Há três anos começamos a perceber o amadurecimento da transformação digital, tanto no âmbito da tecnologia emergente – como inteligência artificial, chatbot, big data – como uma mudança no comportamento, com o movimento Ágil ganhando força e criando um novo contexto. Então tínhamos que fazer a nossa própria transformação”, explica Ciofi.

No fim do ano passado o processo foi acelerado e a chegada da pandemia fez com que o caminho adotado se mostrasse assertivo. O susto se transformou em uma oportunidade de repensar o relacionamento com os clientes. O formato remoto ganhou força e sentido mesmo junto aos mais resistentes.

A compra da empresa paulistana faz com que o Grupo Squadra ultrapasse a marca de 600 colaboradores e deve levar sinergia às equipes. A força de vendas que era da Just vai continuar responsável por São Paulo para todo o portfólio do grupo.

“As empresas que estavam preparadas para o digital conseguiram crescer muito, antecipando entregas de valor para os consumidores e para o mercado. Em maio comecei a pensar que depois da pandemia a corrida para o digital vai ser alucinante. Com base nesse aprendizado, as empresas vão antecipar o planejamento de médio e longo prazo. Quanto mais pronta a Squadra estiver mais ela vai aproveitar. Tiramos nosso projeto de crescimento inorgânico da gaveta, usando o mercado de São Paulo como grande motor do Brasil e com visão internacional para escolher uma empresa que complementasse nossa entrega e que trouxesse massa crítica de clientes naquele estado. Fazer organicamente poderia perder o ‘time’”, avalia.

Ciofi: temos que estar atentos aos movimentos de mercado | Crédito: Divulgação

Parcerias – Além das aquisições, a Squadra tem buscado parcerias com empresas líderes de mercado para o lançamento de soluções completas para setores específicos. Já disponível através dos canais de venda da operadora de telefonia Tim, o Grupo lançou recentemente, também em parceria com a fabricante de equipamentos para internet das coisas (IoT) Nokia, uma solução conjunta de marketplace de produtos e serviços para produtores rurais.

“A Squadra cuida de todo o marketplace. Temos uma plataforma para ajudar as empresas a melhorar a gestão delas. A automação existe ‘da porteira para dentro’ mas a gestão remota, não. Esse é um projeto ainda em 4G, mas a chegada do 5G esperada para o ano que vem será uma ‘revolução dentro da revolução’ e vamos poder avançar muito no atendimento a setores como o agronegócio e a mineração”, completa o CEO do Grupo Squadra.

Ouça o podcast sobre os negócios da Squadra: