VLI economiza combustível após adotar sistema

O Fuelytics reúne informações operacionais e, através de modelagem matemática, consegue obter correlações estatísticas

30 de janeiro de 2024 às 5h10

img
VLI registrou a economia de 3 milhões de litros de diesel em 2023 com o uso da Fuelytics | Crédito: Divulgação/VLI

A VLI – companhia de soluções logísticas que opera terminais, ferrovias e portos – atingiu a marca de 3 milhões de litros de diesel economizados até 2023 com a aplicação da ferramenta Fuelytics, que viabiliza a redução a partir da priorização de ações operacionais indicadas por modelagem matemática. Com a redução no consumo do combustível, a companhia conseguiu promover uma diminuição na emissão de gases na atmosfera equivalente a cerca de 7 mil toneladas de CO².

Em pleno funcionamento nos corredores logísticos da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) e Ferrovia Norte-Sul (FNS – Tramo Norte), ambas administradas pela VLI, o Fuelytics destaca o caráter sustentável do transporte de cargas por ferrovias, uma vez que as emissões de CO² relacionadas ao modal são inferiores às do transporte rodoviário. 

Para o gerente-geral de Engenharia de Desenvolvimento e Tecnologia Operacional da VLI, Cesar Toniolo, a marca de economia de combustível acumulada reflete o foco da companhia no desenvolvimento de soluções internas ou em conjunto com parceiros para o incremento contínuo da eficiência energética das operações. “A implantação e a expansão de tecnologias nas nossas rotinas operacionais ocorrem de forma constante, o que nos permite alcançar resultados consistentes, alinhados com o compromisso da companhia de reduzir emissões atmosféricas”, afirma.

O Fuelytics foi desenvolvido no Inova VLI, programa de intraempreendedorismo da companhia, e segue um processo de aperfeiçoamento contínuo, tendo como objetivo oferecer o acompanhamento dos resultados, além de centralizar as informações de maneira a facilitar a usabilidade e autonomia dos colaboradores.

Funcionamento

O Fuelytics reúne informações operacionais – como as oriundas dos computadores de bordo das locomotivas – e através de modelagem matemática, consegue obter correlações estatísticas e identificar as variáveis com maior potencial de redução de combustível por localidade, fornecendo informações para priorizar as ações que viabilizam o ganho.  

Com a mensuração das variáveis impactantes, a ferramenta também é capaz de fornecer informações, que possibilitam a obtenção de ganho em performance e consequente redução no consumo de combustível e emissão de CO². 

Outras variáveis consideradas na equação são a forma de condução do trem e o perfil do trecho percorrido, entre outros componentes que, direta ou indiretamente, implicam na relação consumo X performance.

Iniciativas

Além do Fuelytics, a VLI possui outras iniciativas com foco na eficiência energética. Uma delas é o sistema Leader, implantado inicialmente nas operações da Ferrovia Norte-Sul VLI e, mais recentemente, nos corredores Leste e Sudeste da Ferrovia Centro-Atlântica, por onde a companhia mantém fluxos de importação e exportação pelo sistema portuário do Espírito Santo e da Baixada Santista, respectivamente.

Por meio deste software, quando o trem atinge velocidade superior a 8 km/hora, o maquinista pode habilitar a condução semiautônoma. A estimativa de economia de combustível por meio do uso do sistema é de 7% nos Corredores Leste e Sudeste e de 3,5% no Corredor Norte.

Concessionária é certificada como ATF-C

A VLI, após registro na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), passa a poder operar efetivamente como Agente Transportador Ferroviário de Cargas (ATF-C) no País. Isso significa que a empresa terá a prerrogativa de negociar com outros players, por meio de contrato operacional específicos (COEs), para acessar, mediante compartilhamento, trechos ferroviários para fins de execução do transporte de suas cargas, ampliando suas atividades.

 “Como ATF, a VLI se mantêm atualizada às oportunidades e às novas alternativas regulatórias. Com este novo modelo, a companhia poderá acessar cargas e operar fluxos que independem das suas malhas ferroviárias concedidas”, afirma a diretora-executiva de Relações Institucionais e Regulatório da VLI, Silvana Alcantara.

Com a edição da Lei das Ferrovias (Lei 14.273/2021), que entrou em vigor em fevereiro de 2022, o cenário ferroviário foi modificado e houve a criação do ATF-C. Entre os objetivos da nova legislação está a abertura do mercado ferroviário, ampliando o sistema por meio de novas alternativas regulatórias para o setor, gerando o aperfeiçoamento e fomentando a competitividade para os serviços prestados nas ferrovias brasileiras.

Pelo novo modelo de execução do transporte ferroviário de cargas pelo Agente Transportador Ferroviário, a prestação do serviço de transporte ocorre de forma desvinculada da exploração da infraestrutura ferroviária. Sendo assim, a VLI, buscando trazer ainda mais valor aos seus clientes, fez seu requerimento para ser autorizada, pelo Registro Nacional do Agente Transportador Ferroviário de Cargas (Renafer-C), a atuar como ATF. A autorização foi concedida em reunião deliberativa da ANTT.

Tags:
Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail