Compliance e ESG ganham destaque no cenário empresarial

31 de janeiro de 2024 às 5h04

img
Crédito: Adobe Stock

No cenário empresarial em constante evolução, o compliance e o ESG ganharam bastante destaque. O compliance, ou conformidade, refere-se ao cumprimento de regras, regulamentos e padrões éticos; já o ESG, sigla para Environmental, Social, and Corporate Governance, envolve as práticas ambientais, sociais e de governança corporativa de uma empresa. Embora possam parecer conceitos distintos, uma leitura mais precisa seria de que dentro da ideia de adotar as melhores práticas de gestão corporativa, o compliance é uma das vertentes do “G”, de governança. Neste artigo, mergulharemos na intersecção entre esses dois campos, explorando como eles podem impulsionar o progresso empresarial e o bem-estar da sociedade.

Imagine uma empresa como um edifício. O Compliance é o alicerce sólido que sustenta todo o edifício, garantindo que ele seja construído sobre princípios éticos e legais. Sem um alicerce robusto de conformidade, os riscos de irregularidades e escândalos podem minar a estrutura, levando a consequências financeiras e devastadoras para a reputação.

Desde o pagamento de impostos até a proteção de dados do cliente, as empresas precisam cumprir regulamentos específicos em cada etapa de sua jornada. E, em um mundo onde a transparência é valorizada, a conformidade não é apenas uma necessidade legal, mas também um ativo estratégico. Empresas comprometidas com o Compliance não apenas evitam multas e sanções, mas também conquistam a confiança de investidores, clientes e parceiros comerciais.

Além disso, um stakeholder de extrema importância, observado de perto pelo compliance, são os colaboradores. Uma empresa com um compliance forte, íntegro e funcional, faz com que os colaboradores passem a se sentir num ambiente seguro, justo e até se sintam orgulhosos de fazerem parte de uma organização com valores sólidos, corretos, que se alinhem com os deles.

Um exemplo prático seria: Para estar conforme a instrução normativa 51/2021 da CVM, as empresas listadas em bolsa devem apresentar KPIs ESG/ em seus balanços. Embora a BD não seja uma empresa listada em bolsa, nós já cumprimos uma série de exigências delas para nos alinharmos às melhores práticas do mercado. Um belo exemplo de quem faz isso hoje é a Natura.

Conforme o compliance atua mais na legalidade, na ética e na governança, o conceito do ESG também amplia e enfatiza a responsabilidade social e ambiental, bem como uma governança sólida. Empresas ESG buscam além do lucro, incorporando valores que impactam positivamente o meio ambiente e a sociedade.

A dimensão “E” (Environmental) do ESG aborda a sustentabilidade ambiental. Empresas comprometidas com essa dimensão podem implementar práticas de redução de emissões, conservação de recursos naturais e adoção de energias limpas. A conscientização crescente sobre as mudanças climáticas e os riscos ambientais está impulsionando empresas a agirem de maneira mais responsável em relação à natureza.

 A dimensão “S” (Social) enfoca as relações e interações sociais da empresa. Isso inclui questões como diversidade e inclusão, saúde e segurança dos funcionários e envolvimento comunitário. Empresas socialmente responsáveis não apenas fortalecem a coesão interna, mas também contribuem para a melhoria da sociedade em que operam.

Esse é o braço principal do DNA da BD. O “social” está presente em cada fibra de quem é parte da Bilheteria, onde o core disso é: diversão, ajudar as pessoas a se divertirem, proporcionar boas experiências aos nossos produtores e consumidores, entre outros, tudo isso está diretamente relacionado aos nossos valores e missão.

Por fim, a dimensão “G” (Governança Corporativa) trata da forma como a empresa é administrada.

Práticas de governança sólidas envolvem transparência nas operações, equidade nas decisões e responsabilização dos líderes. Essa dimensão assegura que a empresa seja administrada de maneira ética, evitando abuso de poder e conflitos de interesse.

Na prática, imagine o ESG e o compliance como sinônimos, onde o compliance é o compromisso com regras e ética dentro do G, e o ESG, na totalidade, é o compromisso com um mundo melhor. Quando o compliance e o ESG são aplicados simultaneamente, cria-se uma sinergia poderosa. Empresas que adotam esses princípios não apenas obedecem às leis, mas também operam com responsabilidade social e ambiental. Esse casamento gera uma cultura organizacional em que a sustentabilidade é incorporada desde a base até o topo da hierarquia.

Lembrando que é preciso haver um equilíbrio, não basta ter um “S” muito forte, zero “E” e muito pouco de “G”. Um exemplo disso dentro da BD é que estamos fortalecendo a sinergia entre o “G” e o “S”, com projetos de D&I (Diversidade e Inclusão), por exemplo.

Imagine uma empresa que, além de pagar impostos corretamente, também trabalha ativamente para reduzir sua pegada de carbono, promove a diversidade entre seus funcionários e doa parte de seus lucros para causas sociais. Essa empresa não está apenas cumprindo regras; ela está contribuindo para um mundo melhor. Um case de sucesso dessas práticas é a Ambev, que, não apenas gera dinheiro, mas que criou uma economia circular, projetos de impacto social, geração de valor para micro e pequenos empreendedores, além de ser fortemente ativo na promoção dos pilares de diversidade e inclusão e governança.

Os benefícios dessa união vão além do impacto positivo na sociedade e no ambiente. Empresas que incorporam compliance e ESG em sua estratégia frequentemente observam um aumento na confiança do cliente e na lealdade à marca. Investidores também veem essas empresas como mais atraentes, pois estão preparadas para enfrentar os desafios futuros de forma ética e sustentável.

Além disso, um ponto essencial é a retenção de talentos. É importante o mercado valorizar os colaboradores, fazendo com que se sintam bem “em casa” e orgulhosos de trabalharem onde trabalham.

Profissionais buscam mais do que apenas um salário; eles querem fazer parte de algo significativo e alinhado com seus valores pessoais. Empresas que demonstram compromisso com o ESG atraem pessoas que compartilham essa visão.

No grande palco do mundo empresarial, compliance e ESG estão desempenhando papéis cada vez mais importantes. Se considerarmos as empresas como cidadãos do mundo, o compliance atende o “G”, o respeito às leis e a ética, enquanto o conceito geral do ESG é o compromisso ampliado com nosso papel no mundo. Juntos, eles têm o potencial de transformar empresas em agentes positivos de mudança. Ao abraçar o compliance e ESG, as empresas estão pavimentando um caminho para um futuro mais sustentável. Esse enlace não apenas beneficia os balanços financeiros, mas também molda um mundo onde os negócios não são apenas motores econômicos, mas também motores de progresso social e ambiental. Cada empresa que abraça essa união contribui para uma jornada coletiva em direção a um mundo mais ético, justo e sustentável.

*Gerente de Compliance/Head of Compliance

Tags: ,
Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail