Escultura em Congonhas celebra a fé

O escultor Guilherme Marques foi escolhido para dar vida ao monumento Nossa Senhora da Piedade, padroeira de Minas Gerais

8 de dezembro de 2023 às 10h30

img
Crédito: Acervo Pessoal/Guilherme Marques

O governo de Minas Gerais e a Gerdau apresentam o Edital Arte em Aço Gerdau, que em 2023 selecionou o escultor Guilherme Marques para dar vida ao monumento Nossa Senhora da Piedade, padroeira de Minas Gerais. O projeto, realizado por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, com patrocínio da Gerdau, propõe o desafio de usar a técnica e a precisão para transformar chapas de aço em figuras humanas.

Responsável pela Pietá das Gerais, de aproximadamente 2.000 quilos, instalada na Catedral Cristo Rei, em Belo Horizonte, Guilherme Marques fez uma nova escultura para Congonhas, na região Central, produzida a partir de materiais e técnicas contemporâneas, sem perder de vista a tradição e a fé do povo mineiro. De livre acesso tanto para moradores locais quanto para os visitantes que circulam pelas ruas da cidade, a instalação foi feita na calçada lateral do Colégio Nossa Senhora de Nazaré, ao lado também da Matriz da cidade, para celebrar os 60 anos da instituição de ensino e os 120 anos da Gerdau.

O processo de criação da escultura em aço corten começou com a concepção do design, que buscava uma forma  não convencional de representar esse tema em um material tão “inusitado”. A escolha desse aço, que é produzido pela Gerdau, se deu devido às suas propriedades de resistência à corrosão, robustez  e beleza. Após o corte e preparação de cada uma das “faces” de aço, elas foram soldadas e acabadas para formar a estrutura. Por fim,  o aço foi submetido a um tratamento com ácidos para acelerar o desenvolvimento da pátina.  

“A principal dificuldade encontrada por qualquer artista, é submeter a matéria de sua arte à ideia escondida na sua cabeça. Ao trabalhar com o aço esta resistência é bem evidente, pois certamente é uma matéria das mais difíceis e não gosta de colaborar, mas é recompensador o esforço”, explica Guilherme Marques.

O edital é uma forma de reconhecer e incentivar as manifestações artísticas que reforçam a riqueza cultural construída em 300 anos de história de Minas Gerais, estado protagonista na história da Gerdau. A ideia de presentear as cidades com as esculturas tem o intuito de ampliar o contato da população com a história de Minas Gerais por meio da arte.

“Penso que meu trabalho desperta a curiosidade das pessoas a olharem de novo para temas quase esquecidos. A inusitada abordagem técnica que o aço proporciona ajuda nesse chamado. Acredito que da curiosidade, despretensiosa no início, possa brotar alguma reflexão posterior: fico feliz quando percebo isso acontecendo”, afirma o escultor.

História da arte

Obra do Renascimento, a Pietá de Michelângelo é um marco na história da arte e é uma referência para o trabalho de Guilherme Marques.

As representações da Nossa Senhora da Piedade começaram na região europeia onde hoje é a Alemanha. Por muito tempo a representação, que se tornou a tradicional, foi a de Maria com o corpo do Cristo apoiado por inteiro no seu colo. 

No avançar da modernidade, até nossos dias, é que a maneira de representar essa venerável cena foi modelada em outras composições das figuras. Cada nova representação apontava novos entendimentos, iluminava novos ângulos para a apreciação da fé. 

Para formar a versão da padroeira de Minas, todas as representações foram levadas em conta por Guilherme Marques, entre elas estão as representações da Vesperbild, Michelangelo, Brecheret, Ceschiatti e do diretor e ator Mel Gibson. 

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail