E-commerce cresce 2% no primeiro semestre no Brasil

Durante o período, a movimentação em vendas gerou R$ 80,4 bilhões. No entanto, há uma expectativa é de atingir os R$ 185,7 bilhões até o final do ano, diz ABComm

4 de setembro de 2023 às 18h36

img
Atualmente, as compras pela internet representam mais de 10% de todo o segmento do varejo nacional | Crédito: Christian W. / Unsplash

O mercado de vendas on-line no Brasil registrou um avanço de 2% em seu faturamento no primeiro semestre de 2023, segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). O e-commerce registrou a movimentação de R$ 80,4 bilhões em vendas na primeira metade deste ano, impulsionadas por fatores como queda nos juros e desaceleração da inflação.

No ano passado o e-commerce já havia apresentado um crescimento significativo, com faturamento total de R$ 169,9 bilhões e um aumento de 5% frente a 2021. Para este ano, a expectativa é de um desempenho ainda mais positivo, com base em indicadores econômicos, que tendem a estimular o consumo on-line, conforme aponta o presidente da entidade, Maurício Salvador.

“A queda dos juros e da inflação, por exemplo, podem contribuir ainda para aumentar as vendas no período. Isso confirmaria a expectativa de atingir os R$ 185,7 bilhões até o final de 2023″, diz.

“Mas, o resultado ainda vai depender da boa performance nas vendas com a Black Friday e o Natal, datas importantes para o segundo semestre”, acrescenta Salvador.

Ainda de acordo com a entidade entre janeiro e junho o ticket médio nas compras pelo e-commerce atingiu R$ 460. No período foram 368,7 milhões de pedidos de compra contabilizados nas plataformas de venda.

Quais os segmentos alavancaram as vendas no País?

Com uma fatia de aproximadamente 10% das compras do varejo nacional em geral, o comércio eletrônico foi estimulado pela procura de itens de alguns setores específicos.

“Tivemos o destaque principal para o setor de eletrodomésticos, devido à praticidade e a variedade de produtos oferecidos on-line contribuindo para esse resultado”, pontua. “O segmento de moda é outro que se destaca nas vendas on-line. Com uma ampla gama de roupas, calçados e acessórios, o vestuário tem apostado em promoções que ajudam esse mercado, principalmente em datas fortes do varejo com apelo emocional. Os segmentos como telefonia, eletrônicos, casa e decoração e, informática também performaram bem”, avalia.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail