Após semanas de queda, preço do etanol volta a subir no Estado

Preço médio no Estado é de R$ 3,35

6 de fevereiro de 2024 às 6h00

img
Enquanto etanol hidratado ficou mais caro, o diesel teve uma ligeira queda nos postos, segundo levantamento da ANP | Crédito: Charles Silva Duarte

Após semanas de queda neste ano, o preço do etanol hidratado voltou a subir em Minas Gerais, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP). A alta veio junto com o aumento dos preços da gasolina e do diesel, após a reoneração dos combustíveis, que entrou em vigor neste mês. O Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) teve um aumento de 12,5% sobre a gasolina, o diesel e o gás de cozinha, mas não atingiu o etanol.

De acordo com a ANP, o etanol hidratado foi vendido, em média, a R$ 3,35 pelos postos mineiros nesta semana, alta de R$ 0,02 por litro em relação à semana anterior. Foi o primeiro aumento no ano de 2024 em Minas Gerais. O principal concorrente do etanol hidratado, a gasolina comum, subiu R$ 0,01, para R$ 5,39 por litro.

Já o preço do diesel no Estado teve ligeira queda. O diesel S-10 foi vendido, em média, a R$ 5,80 por litro, decréscimo de R$ 0,02 em relação à semana anterior.

Para a Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig), o aumento do preço do etanol, mesmo com o combustível fora da volta do imposto, é fruto do aumento do custo de produção da cana-de-açúcar, conforme atesta o índice semanal CEPEA/Esalq.

O indicador semanal teve sucessivas altas no último mês, que ainda não haviam sido refletidas no preço do etanol em Minas Gerais. O valor do litro do combustível diminuiu em duas semanas neste ano e registrou estabilidade em outra.

Na região Sudeste, o preço do etanol também subiu em São Paulo e no Rio de Janeiro, com ligeira alta de R$ 0,01 em ambos os estados. Somente no Espírito Santo o preço do combustível se manteve estável.

A retomada dos impostos federais no início de 2024 foi uma medida anunciada em outubro pelo Ministério da Fazenda. A cobrança integral vem após um longo processo de isenções e reonerações de impostos sobre gasolina, diesel, etanol e gás natural veicular (GNV) iniciado em março de 2021.

Naquela época, os impostos dos combustíveis foram reduzidos para combater a inflação, que estava na casa dos dois dígitos. Desde então, foram ao menos 13 anúncios de mudanças na tributação sobre os combustíveis.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail