Sigma exporta seu maior carregamento de lítio já produzido em Minas

A Glencore pagou, antecipadamente, 50% pelo envio do concentrado

6 de fevereiro de 2024 às 5h13

img
Sigma Lithium embarcou ontem para a China 22 mil toneladas de lítio verde produzidos no Vale do Jequitinhonha | Crédito: Divulgação/Sigma Lithium

A Sigma Lithium realizou o maior embarque de carregamento de lítio verde já produzido pela empresa no complexo Grota do Cirilo, no Vale do Jequitinhonha. Nesta segunda-feira (5), cerca de 22 mil toneladas de lítio verde quíntuplo zero foram embarcadas para o Porto de Vitória, no Espírito Santo, com destino à China. O despacho foi efetuado para a anglo-suíça Glencore, multinacional de commodities da mineração.

A mineradora disse que a remessa recorde demonstra o desempenho consistente de sua planta Greentech, localizada entre as cidades de Itinga e Araçuaí, com capacidade de produção anual de 270 mil toneladas de lítio verde. A empresa canadense já investiu R$ 3 bilhões no complexo mineiro. Mais R$ 1 bilhão foi destinado para a construção de duas novas linhas industriais planejadas para este ano.

A Glencore pagou, antecipadamente, 50% do valor do carregamento pelo envio do concentrado de lítio verde, a um preço premium provisório de 7,5% do preço cotado do hidróxido de lítio na London Metal Exchange.

A empresa tem como política uma produção limpa do mineral, em que não faz uso de energia baseada na queima do carvão e alcançou a neutralidade na emissão de carbono, através dos Créditos de Carbono Verde da Floresta Amazônica. Com empilhamento a seco, a produção da Sigma também não utiliza barragens de rejeitos nem água potável e produtos químicos perigosos.

O lítio verde quíntuplo zero da Sigma é exclusivo e foi reconhecido na COP28 como o lítio mais sustentável do mundo.

O desempenho da companhia é tamanho que a Sigma já atraiu o interesse para sua compra de líderes globais da indústria nos setores de energia, automotivo, baterias e refino de lítio. A empresa recebeu uma série de propostas e iniciou negociações contratuais e detalhadas com os finalistas do processo, cujo resultado será a venda da companhia canadense e sua subsidiária Sigma Brasil, em conjunto ou de forma separada, bem como o complexo industrial Grota do Cirilo, no Vale do Jequitinhonha.

Informações extraoficiais dão conta de que a BYD, uma das líderes mundiais do ramo de veículos elétricos, seria uma das empresas interessadas. Outros que demonstraram interesse na aquisição da Sigma seriam a chinesa CATL, maior fabricante de baterias do mundo, e a Volkswagen, montadora de veículos e com negócios no segmento de baterias. A Sigma não revela os nomes dos interessados em comprá-la.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail