Turismo impulsiona setor de serviços em Minas Gerais

Segundo o IBGE, a atividade de serviços cresceu mais de três vezes acima da média nacional

9 de fevereiro de 2024 às 18h43
Atualizada em 11 de fevereiro de 2024 às 12h04

img
O Circuito Cultural da Pampulha, em Belo Horizonte, é um dos principais pontos turísticos da Capital/ Crédito: Adobe Stock

O setor de serviços em Minas Gerais acumulou alta de 7,7% em 2023, de acordo com dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada sexta-feira (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O crescimento do Estado foi mais de três vezes superior ao nacional, de 2,3%. O segmento foi impulsionado pelo turismo, que teve alta expressiva de 15%, a maior do País.

Apesar disso, o setor de serviços como um todo recuou 1,4% em dezembro no Estado em relação ao mês anterior, enquanto no Brasil avançou 0,3%. Entretanto, em relação ao mesmo mês de 2022, o setor cresceu 1,7% em Minas Gerais. No País, o recuo foi de 2% na mesma base de comparação.

Para o IGBE, os dados mostram que a trajetória do setor de serviços no Estado não foi homogênea. O levantamento mostra que o desempenho da atividade em Minas Gerais foi positiva no ano, mas variou muito de um semestre para o outro. Foram sete meses de crescimento e cinco de queda. O destaque foi para a primeira metade de 2023 em que os meses de fevereiro (1,1%), março (3,2%) e maio (2,5%) registraram os maiores crescimentos do setor no ano passado.

O economista-chefe do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Izak Carlos da Silva, comenta que o setor de serviços tradicionalmente oscila durante o ano. Além disso, 2023 foi um ano atípico, com aquecimento do mercado de trabalho, que aumenta a demanda do setor, e uma taxa básica de juros em patamar elevado, que contrai a atividade econômica. “Quando a gente olha para o acumulado do ano, o crescimento foi generalizado. Cresceu mais em Minas Gerais do que no Brasil. Esse resultado positivo sobrepõe essa oscilação que observamos ao longo do ano”, afirma.

Turismo de Minas Gerais se diversificou

Além da maior alta do Brasil no acumulado até o último mês de 2023, o turismo de Minas Gerais registrou alta de 2,3% em dezembro comparado com o mesmo mês de 2022. Na comparação com novembro, houve uma pequena queda de 0,1% nas atividades turísticas.

O Hotel Glória, em Caxambu, na região da Serra da Mantiqueira, no Sul de Minas Gerais, recebeu mais de 28 mil hóspedes no ano passado. A taxa de ocupação foi de 65% ao final de 2023. Por conta disso o empreendimento aumentou o quadro fixo de funcionários em 20%.

O gestor do hotel, Alexandre Moura, comenta que o turismo mineiro tem ficado aquecido pela diversificação que oferece. “Abrange aquele hóspede que tem um ticket muito mais elevado, mais interessado em visitar cidades históricas, conhecer Inhotim. Mas também temos circuitos turísticos aqui no Estado que atraem outros públicos, aquele casal jovem, aventureiro, que sai do Rio de Janeiro, São Paulo. Isso oxigena bastante, atinge todos os meios de hospedagem, da mais econômica até a mais cara”, pontua.

Os destaques entre os grupos de atividades do setor de serviços no acumulado do ano passado no Estado foram os serviços de informação e comunicação, com crescimento de 13,3%; transportes, serviços auxiliares aos transportes e correios, com variação positiva de 8,4%; e serviços profissionais, administrativos e complementares, com peso maior para o índice em Minas, com 7,1%.

Todas essas médias foram bem superiores às médias nacionais, que, pelas ordem de atividades citadas acima, registraram, respectivamente, altas de 3,4%, 1,5%, 3,7%.

Setor de serviços tende a crescer em 2024

O economista do BDMG é otimista ao apontar uma tendência para o setor de serviços no Estado. Ele explica que a turbulência dos últimos anos, com pandemia, prejudicou uma análise nesse sentido. E que gora é possível traçar um caminho com mais clareza. “O setor é quase uma síntese da economia como um todo. De um modo geral, nos enxergamos um crescimento no setor de serviços em 2024, e deve ser mais disseminado entre os setores”, comenta Silva.

Ele ressalta que o mercado de trabalho continuará robusto, com desemprego baixo, formalização crescente e melhores salários, o que aumentará o rendimento médio real e vai aquecer a indústria e o comércio. É previsto uma alta na demanda dos serviços prestados às famílias, nos administrativos e profissionais e no dos transportes. “Nós temos só vetores positivos e a expectativa é de crescimento para o setor de serviços em 2024”, finaliza.

Tags:
Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail