Belgo cria primeiro hub brasileiro de impressão de peças 3D em arame de aço 

Projeto proporciona um processo de produção mais rápido, conectado com as demandas específicas de mercado

7 de fevereiro de 2024 às 7h01

img
André Ghion aposta na transformação digital da indústria | Crédito: Rafael Motta

Visando à velocidade de reposição e à redução de descarte de aço, a Belgo Arames, empresa referência na transformação de arames de aço, está lançando o primeiro hub brasileiro de impressão de peças 3D em arame de aço para a indústria. O 3D Part, como foi nomeado, busca produzir peças de forma mais rápida se comparada à manufatura tradicional e solucionar o problema da demora da importação no caso de peças de reposição, que muitas vezes são compradas em outros países. 

A ideia está saindo do plano das pesquisas e virando de fato negócio. De acordo com o diretor de Marketing, Inovação e Estratégia da Belgo Arames, André Ghion, o hub funciona como uma empresa intermediária entre as empresas clientes e parceiros tecnológicos, oferecendo a tecnologia Manufatura Aditiva por Deposição à Arco (Mada), com a garantia de qualidade e que cumpra as certificações de segurança e de desempenho obrigatórios.

A ideia é viabilizar contatos de indústrias que tenham interesse em contratar esse tipo de serviço com parceiros de produção, fato que até hoje não era possível, e que passa a ser com a criação do hub. “Seremos o hub que conecta a demanda e a fabricação de qualquer player, não necessariamente nós que vamos fabricar”, ressalta.

Andre Ghion explica que a grande questão estratégica que a Belgo Arames está trazendo para o mercado com a criação do hub é a transformação digital do processo fabril e de industrialização. “O que a gente está apostando é na digitalização da indústria, se a empresa me mandar o formato digital da peça, eu a fabrico aqui. Assim, a gente está literalmente abrindo um novo mercado”, comenta Ghion. O diretor destaca que o grande interesse da empresa é estimular o mercado de impressão 3D no Brasil. 

Para isso, foram investidos R$ 1,2 milhão por parte da empresa. Atualmente, o hub de impressão 3D Part possui tecnologia para atender a confecção de peças de até 30 cm³. Até o fim de 2024, a expectativa, de acordo com Gion, é ampliar a impressão para até 100 cm³. 

As primeiras impressões já estão sendo feitas em Minas Gerais e a empresa está pronta para atender a indústrias de todos os portes. A fase de pesquisa e viabilidade técnica de mercado envolveu uma equipe multidisciplinar, composta por pesquisadores, especialistas em solda, engenheiros, e profissionais das áreas comerciais, de design thinking, marketing, inovação e logística. E a expectativa é que a capacidade do hub não atenda a possível demanda que ele possa gerar.

A falta de capacidade de produção é considerado um indicador positivo para empresa. “Nosso indicador de sucesso é exatamente não ter capacidade suficiente neste momento. Se isso acontecer, está provado que existe um mercado latente, que existe um negócio e obviamente você vai aumentar sua capacidade de entrega”, comenta.

Na opinião de Ghion, na hora que as empresas entenderem que elas podem fabricar as peças, “esse negócio explode”, diz. Os primeiros ensaios foram promissores, e eles acreditam na consolidação desse novo mercado nos próximos anos.

As empresas que tiverem interessadas na solução oferecida pela 3D Part podem entrar em contato com a Belgo Arames via formulário disponível no site: 3dpart.belgo.com.br

Imprimir peças é mais sustentável

Outra vantagem da impressão de peças 3D em arame de aço para a indústria é que ela é mais sustentável. Enquanto a produção convencional produz um descarte de 80% de aço, de acordo com dados da empresa, a impressão 3D reduziu o descarte de aço para 20%. 

“Normalmente você tem um bloco que é usinado, que você vai desbastando. Quando você vai na impressão 3D, você vai já praticamente no tamanho da peça e envolve zero ou uma usinagem mínima”, afirma o diretor de Marketing, Inovação e Estratégia da Belgo Arames.

Belgo Arames é uma das empresas do CIT 

Desde 2016, a Belgo investe em pesquisa e projetos de impressão 3D que utilizam o arame de aço como matéria-prima. Com a Universidade Federal de Uberlândia (UFU), a empresa fez o levantamento das propriedades físicas e metalúrgicas de uma grande gama de arames destinados à impressão 3D.

Em 2022, iniciou pesquisas no Centro de Inovação e Tecnologia do Senai (CIT/Senai) em Belo Horizonte e, em 2023, se uniu à ArcelorMittal e à Delp MRS Logística para lançar o 1º Centro de Desenvolvimento da Tecnologia de Manufatura Aditiva por Deposição a Arco (CDT Mada) do Brasil.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail