Programa do Sebrae completa 10 anos fortalecendo a educação empreendedora

Em Minas, mais de 800 municípios são atendidos pelas ações do Programa Nacional de Educação Empreendedora

29 de novembro de 2023 às 9h16

img
Em Minas, mais de 800 municípios já foram contemplados com as ações do PNEE, beneficiando diretamente mais de 400 mil alunos e capacitando 41 mil professores | Crédito: Adobe Stock

Com mais de 2,2 milhões de estudantes atendidos e 130 mil professores capacitados em mais de 6 mil instituições de ensino de todo o País, o Programa Nacional de Educação Empreendedora (PNEE) do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) completa a primeira década de atuação promovendo ações de fortalecimento ao empreendedorismo nas redes de ensino pública e privada.

Desde 2013 o programa desenvolve pesquisas, estudos, ferramentas, cursos e eventos para formar e municiar educadores, alunos e gestores de diferentes níveis da educação formal na temática da educação empreendedora. Minas Gerais é destaque no programa com mais de 800 municípios atendidos pelas ações do PNEE, beneficiando diretamente mais de 400 mil alunos e capacitando 41 mil professores.

O pioneirismo e excelência no Estado fez Belo Horizonte ser selecionada como o Polo de Educação Empreendedora do Sistema Sebrae, sediando o Centro Sebrae de Referência em Educação Empreendedora (CER). Na capital, cerca de 1,3 mil educadores de escolas integrais da rede municipal já participaram de capacitações por meio do PNEE e a iniciativa foi aplicada em 114 instituições de ensino, contribuindo para a formação de quase 40 mil alunos.

O presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas, Marcelo de Souza e Silva, ressalta o papel da educação empreendedora como mecanismo de transformação da cultura do empreendedorismo no País e, consequentemente, do mundo do conhecimento e do trabalho. “A educação empreendedora ajuda a estimular e desenvolver competências integradas à construção de projetos de vida, colabora para o desenvolvimento integral de estudantes, favorece o protagonismo juvenil e oferece soluções de aperfeiçoamento e valorização profissional para professores. Atuamos com um propósito de desenvolver o potencial das pessoas para se tornarem protagonistas da transformação da realidade”, ressalta. 

Educação impulsiona projetos inovadores de empreendedorismo

Em Montes Claros, no Norte de Minas, a Escola Estadual Coronel Filomeno Ribeiro é uma das referências na difusão da educação empreendedora. A instituição venceu por duas vezes o Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora com dois projetos inovadores para alunos do ensino fundamental: “Ler é Crescer” e “Jogos Mais Que Especiais”.

A gestora e ex-diretora da escola, Clelma Rodrigues, conta que o primeiro empreendimento teve foco no social, educacional e financeiro, com o desenvolvimento de uma moeda, que era repassada aos alunos quando eles liam um livro. “Sabemos que a leitura era primordial em qualquer disciplina, mas os resultados que tínhamos eram muito ruins, culminando em altas taxas de evasão escolar e reprovação. Ao fim do bimestre, eles sacavam o valor e podiam gastar no Shopping do Leitor, espaço que contava com brinquedos, adereços, livros e outras coisas”, afirma.

O segundo projeto é voltado para a inclusão social e surgiu em 2016 com a ideia de vender preconceitos contra pessoas de necessidades especiais. “Trata-se de um empreendimento educacional inclusivo, social e financeiro, no qual os professores do atendimento educacional especializado, juntamente com outros professores, os estudantes da educação especial e os demais alunos desenvolvem jogos pedagógicos, a partir de materiais recicláveis, para atender os alunos com necessidades especiais”, explica Clelma.

O jovem empresário Matheus Mendes Martins, de 25 anos, foi um dos alunos da escola e participou das mentorias do PNEE até 2016, quando cursou o 3º ano do ensino médio. Ainda na escola, ele participou do curso Despertar, no qual passou por testes vocacionais, montou projetos para desenvolver características empreendedoras e viabilizou ideias de negócios. Com a capacitação, ele montou sua primeira empresa ainda como estudante. A CopyMoc é especializada em cópias e impressões.

Atualmente ele administra um restaurante e uma loja de artigos agropecuários inspirado pelos conceitos de empreendedorismo aprendidos na sala de aula. “Sempre tive aptidão na questão empreendedora, mas desenvolvi as características na escola. Montar negócio não é dinheiro, é ter uma mentalidade própria. Nem sempre você precisa nascer com a característica empreendedora, mas é preciso praticar essas ideias”, avalia o empreendedor”, conta Mateus.

Tags:
Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail