Como a leitura de qualidade nos afasta dos problemas do mundo digital?

24 de janeiro de 2024 às 5h05

O mundo digital agregou muitas vantagens à forma como nos comunicamos, sem esquecer o apoio aos cientistas, à área médica e às demais áreas das quais todos nos beneficiamos. Ele oferece oportunidades para construir conhecimento, compartilhá-lo em tempo recorde e, assim, multiplicá-lo.

Individualmente, a tecnologia digital está facilitando nossa vida diária, com acessibilidade e uma série de aplicativos de informação. No entanto, haverá um lado negativo em meio a essas vantagens se não tomarmos cuidado com as invasões desses usos digitais em nossa integridade emocional e intelectual.

Gradualmente, desenvolvemos atitudes viciantes em relação às nossas ferramentas digitais, o que os pesquisadores chamam de “uma extensão do eu”, já que foi criada uma fusão com seus usuários.

A consulta e a solicitação constantes geram estresse e saturam nossas mentes. A falta de postagens nas redes sociais nos preocupa, como se pudéssemos perder informações ou uma oportunidade de nos expressarmos, de nos exibirmos. Sentimos que as respostas aos e-mails têm de ser imediatas, pois nosso mundo vive com tempo acelerado. Essas atividades fragmentadas e superficiais que precisam ser processadas rapidamente, como experiências e eventos em que tudo precisa ser fotografado ou filmado, muitas vezes nos privam da atenção que deveríamos dar às pessoas que encontramos.

Como podemos lutar contra nós mesmos e nosso condicionamento? É preciso, primeiramente, estarmos ciente disso se quisermos sair do estresse digital. Ações simples, como reduzir as notificações sonoras e priorizar tarefas, são os primeiros passos.

A leitura que não é superficial nos dá a chance de recuperar uma memória melhor e a capacidade de nos adaptar a ambientes em constante mudança, isso graças à nossa imaginação construída pela ficção e por livros que abrem a porta para pensamentos que podem ser compartilhados. É também uma oportunidade de criar vínculos em família ou em um círculo mais amplo. Isso não significa que você não possa usar a tecnologia digital para compartilhar suas descobertas de leitura com uma rede mais ampla. A chave é saber como proteger o tempo de leitura que proporciona uma compreensão profunda de um assunto ou história, em vez de uma leitura diagonal que deixa pouca chance de reter as informações. Para nos livrarmos das múltiplas tarefas e ler adequadamente, é preciso colocar em prática uma estratégia deliberada.

Precisamos começar nos permitindo dedicar tempo, tornando a leitura parte rotineira de nossa agenda e sabendo como incorporá-la a viagens e férias, ótimos momentos para se concentrar e dar uma pausa em outras preocupações. Quando se trata de retomar o hábito da leitura, ou quando você for novato por nunca ter feito isso antes, é preciso dar tempo a si mesmo, assim como faz com as atividades esportivas, para se sentir confortável e se tornar intelectualmente ágil. Acima de tudo, você precisa se incentivar e se ajudar! A leitura não deve ser um castigo, mas um prazer, ou até mesmo uma recompensa pelo tempo economizado em um espaço confortável, na medida do possível. Sugiro que você comece lendo assuntos que o fascinem, em vez do último livro que todo mundo já leu. Depois, talvez siga um caminho mais avançado, interessando-se por eventos literários e pelos últimos livros lançados nas áreas de que você gosta. Por fim, explore os formatos de leitura mais adequados para você: livros em papel, revistas, quadrinhos ou outras mídias, até mesmo digitais quando você estiver em trânsito.

Sem exceção, todos nós repetimos o mesmo refrão quando se trata de leitura: “Não tenho tempo”. Sem dúvida, podemos recuperar o hábito de dedicar tempo para nos informar. O caminho utilizado pelos grandes líderes, que reservam muito tempo para a leitura, é alcançado em situações de plena consciência e, portanto, de grande concentração. Eles entenderam que a leitura permite o aprendizado contínuo, enriquece a tomada de decisões e nos torna mais abertos ao descobrir outras possibilidades.

A leitura desenvolve nosso vocabulário e, de modo mais geral, nosso domínio do idioma. Ao ler ficção, os leitores nutrem sua criatividade literária, que também pode ser aplicada a muitos outros campos. Por fim, esses momentos de atenção plena ajudam a reparar os efeitos negativos do estresse, permitindo que relaxemos por um determinado período de tempo e alcancemos maior serenidade por um período mais longo.

Para aqueles que ocupam cargos de liderança, seu proselitismo sobre os benefícios da leitura qualitativa pode inspirar suas equipes. Isso os incentivará a expandir seus conhecimentos, a dedicar tempo para se interessar pelos outros e a buscar equilíbrio em suas vidas. É também uma oportunidade de se manter a par das tendências emergentes em todas as áreas e de continuar aprendendo.

* Economista, presidente da Câmara de Comércio Internacional França Brasil/ Minas Gerais e reitora da Faculdade SKEMA Business School.

Conteúdos publicados no espaço Opinião não refletem necessariamente o pensamento e linha editorial do Jornal DIÁRIO DO COMÉRCIO, sendo de total responsabilidade dos/das autores/as as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.
Tags:
Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail