Viagem de Lula a BH terá anúncio de investimentos e presença de 6 ministros

Petista deve se reunir com governador Romeu Zema (Novo) e discutir dívida bilionária de Minas com a União

5 de fevereiro de 2024 às 14h59
Atualizada em 11 de fevereiro de 2024 às 12h09

img
Crédito: Jose Cruz/Agência Brasil

A primeira viagem de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a Minas Gerais neste terceiro mandato foi confirmada oficialmente pela Presidência da República nesta segunda-feira (5).

O presidente virá a Belo Horizonte na próxima quinta-feira (8). Ele estará acompanhado de seis ministros:

  • Rui Costa (Casa Civil),
  • Alexandre Silveira (Minas e Energia),
  • Renan Filho (Transportes),
  • Camilo Santana (Educação),
  • Nísia Trindade (Saúde)
  • e Esther Dweck (Gestão e Inovação).

A expectativa é que o evento, marcado para o Minascentro, na região central da cidade, reúna cerca de 800 pessoas, incluindo empresários e aliados.

Inicialmente, Lula e os ministros farão um balanço das ações do governo federal em Minas Gerais. Em seguida, eles vão anunciar novos investimentos no Estado.

Na última semana, havia sido confirmada pela Secretaria de Comunicação da Presidência uma visita de Lula a Juiz de Fora. Mas, neste último comunicado, a cidade da Zona da Mata mineira ficou de fora da agenda do presidente.

Sobre isso, a pasta disse que “as agendas não estavam marcadas, e sim em processo para sua realização”.

Zema pede encontro com Lula durante viagem a Belo Horizonte

Na última sexta-feira (2), o vice-governador de Minas Gerais, Mateus Simões (Novo), disse que o governador Romeu Zema (Novo) enviou um ofício para a Presidência solicitando um encontro com Lula de pelo menos 30 minutos. A agenda e o local desse encontro ainda não foram confirmados.

“A agenda do presidente é formada por ele. O que fizemos foi o pedido. Mas o governador já esteve em Brasília outras vezes a convite do presidente. Ele pode ir para conversar, mas já que o Lula vem a Belo Horizonte, o governador gostaria de ter essa oportunidade de conversar com ele sobre Minas Gerais”, disse Simões na sexta.

O vice-governador reiterou que Lula é muito bem-vindo em Minas Gerais. E destacou que o Estado é conhecido pela hospitalidade aos visitantes, inclusive, recebeu prêmios nos últimos anos reconhecendo essa receptividade amigável, e com o presidente da República não será diferente.

Nesta segunda-feira (5), em entrevista à rádio Jovem Pan, Zema disse que irá receber bem o presidente:

“O Lula estará em Belo Horizonte nesta quarta-feira. Irei recebê-lo bem, irei passar os problemas de Minas Gerais. E vejo que, apesar de eu não ter concordância com ele, respeito é bom em todo lugar”, disse o governador mineiro.

Lula deve abordar dívida bilionária de Minas Gerais

Se, de fato, o encontro entre Zema e Lula acontecer, o governador terá a chance de debater com o presidente sobre a dívida bilionária de Minas Gerais com a União, de cerca de R$ 160 bilhões.

O deputado federal Rogério Correia (PT) disse ao DIÁRIO DO COMÉRCIO que o assunto com certeza estará na pauta do presidente em Belo Horizonte.

“Com certeza (Lula) deve tocar nesse assunto (dívida). Penso que sim, até porque o governador acabou fazendo um endividamento nesse período em que ele não pagou nada e a dívida cresceu 45%. Tem que ter uma solução para isso. O Rodrigo Pacheco (presidente do Senado) também está vindo e está preocupado com essa questão, como todos nós”, disse. 

Citado por Correia, o senador Pacheco (PSD-MG) entrou na história da enorme dívida mineira ainda no ano passado. Na tentativa de encontrar uma saída para que o Estado quite o débito com a União, o parlamentar apresentou uma proposta alternativa ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF), defendido por diversas ocasiões pelo governo estadual. 

A sugestão do presidente do Congresso Nacional e possível candidato a governador de Minas Gerais em 2026 foi repassada para o Ministério da Fazenda, que ficou responsável por estudá-la e retornar com um plano oficial. O esboço de Pacheco inclui federalizar estatais como a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) em troca de um abatimento no débito, entre outras medidas. 

Se as tratativas não avançarem, o governo mineiro poderá, novamente, passar por apuros, visto que o novo prazo-limite para a lei que trata da adesão do Estado ao RRF ser aprovada na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) é o dia 20 de abril. Sem a autorização da Casa ou acordo com a União, o Executivo estadual terá que iniciar os pagamentos imediatamente. 

BR-381 na pauta

A expectativa é alta com relação à primeira visita de Lula a Minas Gerais neste terceiro mandato. O deputado federal afirmou à reportagem que é provável que o presidente também traga notícias da BR-381.

Vale lembrar que a concessão do trecho da rodovia entre Belo Horizonte e Governador Valadares estava prevista para novembro, porém não ocorreu por falta de interessados no leilão.

Correia ainda disse que Lula deve voltar ao Estado em março.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail