COTAÇÃO DE 18/06/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,0680

VENDA: R$5,0690

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,0370

VENDA: R$5,2330

EURO

COMPRA: R$5,9716

VENDA: R$5,9733

OURO NY

U$1.764,31

OURO BM&F (g)

R$286,98 (g)

BOVESPA

+0,27

POUPANÇA

0,2446%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Destaque Economia

Fábrica produzirá nanomateriais feitos de nióbio em Minas Gerais

COMPARTILHE

A Nanonib - Nanotecnologia e Inovação em Nióbio produzirá vários itens de beleza, saúde e para o agronegócio | Crédito: Glaucia Rodrigues

Minas Gerais abriga agora a primeira fábrica de nanomateriais de nióbio no mundo com licença para operar usando o produto para fins não metálicos.

A startup Nanonib – Nanotecnologia e Inovação em Nióbio recebeu do governo do Estado o certificado de Condições Técnico-Operacionais (CTO) e o alvará sanitário. Com isso, passará a produzir diversos itens de beleza, saúde e também para o agronegócio.

PUBLICIDADE

O primeiro produto da empresa será um spray que protege as superfícies do novo coronavírus pelo período de um dia. Falta apenas o licenciamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que o item comece a ser fabricado, em parceria com a Yeva Cosmétiques, localizada em Itaúna, no Centro-Oeste do Estado. Enquanto a startup produzirá o insumo que tem o nióbio em sua composição, a Yeva Cosmétiques fabricará o spray.

A novidade deverá ser comercializada por um valor entre R$ 35 e R$ 40 e as perspectivas são de que as vendas somem R$ 35 milhões no primeiro ano. As expectativas são de que as vendas tenham início já no mês de abril.

“Nós descobrimos uma forma de manipular o nióbio e transformá-lo em materiais avançados para diversas áreas”, conta o diretor-executivo da Nanonib, Joel Passos. Ele lembra que a empresa é composta por professores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que pesquisam o produto há cerca de 15 anos, e também por grupos de investidores.

Nesse cenário de inovação, investimentos e estudos, as perspectivas são de que a startup lance somente neste ano cerca de sete a oito produtos, “totalmente disruptivos e inovadores”, afirma Passos.

Estão na lista de criações da empresa um creme que usa nanopartículas de nióbio para o tratamento da psoríase – trata-se de um cosmético, não de um medicamento – e um creme dental para clareamento.

A Nanonib, segundo Passos, também está fechando um acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que envolve um produto com aplicação no agronegócio, para a proteção das plantas contra fungos e bactérias.

“Estamos transformando o conhecimento acumulado na UFMG há mais de 15 anos. Queremos desmistificar o nióbio. Ele é consideravelmente abundante na terra, mas as minas de Minas Gerais são as mais fáceis do mundo”, diz ele.

A empresa já mira, inclusive, o mercado internacional e tem feito diversos contatos com outros locais. Segundo Passos, já há conversas com países como Japão, Itália e Estados Unidos.

A Nanonib – Nanotecnologia e Inovação em Nióbio foi criada em 2019 e tem uma nanofábrica no Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BHTec).

O diretor-executivo Joel Passos conta ainda que uma das metas da empresa é expandir a sua capacidade de lançamento de produtos. “Nós podemos lançar antissépticos para desodorantes, para sabonetes íntimos”, destaca ele.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!