COTAÇÃO DE 09/04/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6740

VENDA: R$5,6750

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6570

VENDA: R$5,8330

EURO

COMPRA: R$6,7129

VENDA: R$6,7158

OURO NY

U$1.744,20

OURO BM&F (g)

R$316,53 (g)

BOVESPA

-0,54

POUPANÇA

0,1590%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Direto da Redação

Presidente interina da Fecomércio MG participa de encontro com governador Romeu Zema

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

As principais entidades representativas do comércio, incluindo a Fecomércio MG, participaram na manhã desta terça-feira (23/03) de uma reunião on-line com Romeu Zema. Além da presença da presidente interina da Federação, Maria Luiza Maia Oliveira, o governador esteve acompanhado de autoridades como o novo secretário de Saúde, Fábio Baccheretti; o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio; e o secretário de Governo, Igor Eto.

O encontro debateu o enfrentamento ao Covid-19, com foco nos impactos da pandemia na economia. O governador ressaltou o momento crítico, onde muitas vidas e empregos estão sob risco. Além disso, reafirmou a disposição do governo para o diálogo com todas as entidades representativas, destacou o trabalho de sua gestão para equilibrar saúde e economia e enfatizou a importância da onda roxa no combate ao avanço do vírus nas cidades mineiras.

PUBLICIDADE

Válida para todas as macrorregiões de saúde mineiras desde o dia 17 de março, a onda roxa foi implementada a fim de se recuperar a capacidade de assistência em saúde no estado e preservar vidas. Ciente do momento, a Fecomércio MG compreende a decisão tomada pelo governo de Minas. Porém, na ocasião, reiterou a necessidade de reavaliação das atividades do comércio de bens e serviços inseridas na onda roxa, bem como a urgência de medidas tributárias efetivas e de mais crédito por meio do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG).

De acordo com a presidente interina da Federação, Maria Luiza Maia Oliveira, sem previsibilidade ou solução ágil e palpável para salvar os negócios, milhares de empresários se veem sozinhos, sendo condições de arcar com todos os efeitos provocados pela pandemia. “Por isso, é preciso reunir forças para que medidas como a prorrogação e a revisão de taxas de empréstimos e a volta do programa de suspensão de contratos e redução de salário e jornada retornem logo, viabilizando assim a manutenção das empresas e dos empregos.”

Durante o encontro, Passalio informou que os valores destinados ao Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) foram reduzidos de R$ 16 bilhões para R$ 6 bilhões, diminuindo a possibilidade de tomada de empréstimo e sobrecarregando ainda mais as empresas afetadas pela pandemia. Segundo o secretário, o BDMG tem estudado soluções para expandir a oferta o crédito aos mineiros, mitigando em parte os efeitos da crise.

Em defesa dos empresários

Recentemente, a Federação obteve resultados significativos em pleitos enviados ao governo de Minas – e lembrados por Passalio durante a reunião. Entre as demandas requisitadas e atendidas destaca-se a regulamentação do Convênio ICMS 17/2021, por meio de projeto de lei enviado à Assembleia Legislativa. Ele autoriza o Estado de Minas Gerais a instituir um novo Refis, com desconto de até 90% nos juros e multas nas dívidas de ICMS.

O governo também acatou parcialmente o pedido da Fecomércio MG para que não houve interrupção, por inadimplência, do fornecimento de serviços essenciais sob sua responsabilidade, como água e energia elétrica, caso a atividade empresarial tenha sido suspensa ou reduzida por ato do poder público. Sendo assim, as empresas poderão parcelar seus débitos sem juros com a Cemig; e terão esse benefício e ainda mais prazo para quitar as tarifas da Copasa.

Ainda de forma parcial, o governo de Minas acatou ao pedido da entidade pela suspensão temporária da cobrança de dívidas tributárias e não tributárias, como protestos de dívida ativa. Por meio de decreto, o Poder Executivo Estadual suspendeu o encaminhamento dos Processos Tributários Administrativos para inscrição em dívida ativa até o dia 2 de maio de 2021, salvo para evitar prescrição.

Vacinação em debate

O tema vacinação também fez parte da pauta da reunião com as entidades. Assim como o governo, a Fecomércio MG reforça que é preciso ampliar e acelerar o programa de vacinação, a fim de garantir a saúde coletiva e a retomada da economia. Com o resgate da confiança de empresários e consumidores, o comércio de bens, serviços e turismo poderá recuperar vendas, gerar novos empregos e renda e superar os efeitos da pandemia.

Por fim, a Federação conclama, mais uma vez, que toda a população fortaleça o compromisso em zelar pela saúde, seguindo as orientações das autoridades competentes e se engajando na campanha de imunização contra o Covid-19. Só com a população vacinada, os cuidados com a higiene, mais previsibilidade por parte dos governos e ações em favor das empresas será possível pensar no futuro e reabrir as atividades empresariais de forma definitiva.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!