COTAÇÃO DE 23 A 25/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,6750

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Elevação nos custos de insumos e combustíveis preocupa o empresariado

COMPARTILHE

Crédito: Charles Silva Duarte/Arquivo DC

Em Minas Gerais, os aumentos constantes dos preços dos combustíveis e dos valores dos insumos/mercadorias têm pressionado os custos dos pequenos negócios, segundo apontou a 12ª edição da Pesquisa de Impacto da Pandemia nos Pequenos Negócios.

Realizado entre os dias 27 de agosto e 1º setembro, o levantamento mostrou que houve avanço no faturamento das empresas e também nos níveis de vendas. As empresas ainda sofrem com a crise gerada pela pandemia, mas o resultado mostra uma tendência de recuperação gradual. No Estado, foram ouvidos 440 empresários. 

PUBLICIDADE

De acordo com o levantamento feito pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), entre os custos que têm pressionado os negócios, os mais citados são os referentes aos valores de insumos/mercadorias, que impacta a maior parte dos empreendedores (42%) e também os combustíveis (gasolina, etanol e diesel), apontado por 24% dos empresários ouvido na pesquisa.

Os custos com aluguel também estão entre os que mais oneram na atividade para 13% dos entrevistados. A energia elétrica foi citada por 7% dos empresários.

Em nível nacional, assim como em Minas Gerais, os maiores impactos nos negócios vêm dos custos com insumos/mercadorias (37%) e combustíveis (26%). Em seguida, vieram aluguel (14%) e energia elétrica (11%).

“O aumento dos custos com os insumos ainda é reflexo da crise gerada com a pandemia, que afetou a produção. Agora, com a retomada, a demanda está maior que a oferta. Isso impulsiona os preços. Além disso, no caso da energia elétrica, estamos vivendo um período de crise hídrica”, explicou a analista da Unidade de Inteligência Empresarial do Sebrae Minas, Gabriela Martinez.

Apesar do desafio dos custos mais elevados, a situação dos pequenos negócios tem evoluído de forma positiva, ainda que em passos lentos.

No que se refere ao faturamento, houve uma melhora do desempenho. Enquanto na pesquisa anterior, 78% dos empresários relataram queda no faturamento, na edição atual, o índice caiu para 70%. O índice de empresas que registraram aumento passou de 7% para 14%.

“O número de empresas com o faturamento em queda ainda é muito expressivo, mas vem mostrando melhoria. A recuperação das empresas será gradual”, explicou Gabriela.

Em relação às vendas, a queda está em 32% quando comparado com o período antes da pandemia, o que mostra uma recuperação, ainda que lenta. Na pesquisa anterior, apurada entre 27 de maio e 1º de junho, a queda média apontada pelos empresários mineiros era de 42%.

No que se refere a dívidas/empréstimos, 36% dos empresários disseram ter dívidas e estão em dia. Outros 30% possuem dívidas e estão em atraso, e 35% não tem. Na pesquisa anterior, o índice de empresas com dívidas atrasadas era de 35% e 32% não possuía débitos. 

Expectativas 

“Fatores como o avanço da vacina contra a Covid-19 e a reabertura das atividades econômicas geram expectativas positivas e o empresário volta a investir, a contratar na expectativa de voltar ao normal. As estimativas ainda são cautelosas e os empresários acreditam que vai demorar 17 meses para a economia voltar ao normal em Minas. Na 11ª edição, a estimativa era de 18,7 meses. A retomada ao normal acontecerá após as eleições, que é um período marcado por incertezas”.

Outro dado interessante apontado pela pesquisa é a adoção do PIX nas empresas. Entre os pequenos empresários, 74% já utilizam a opção para realizar vendas. O percentual do faturamento gerado com Pix ainda é pequeno, com 53% dos empresários respondendo que a parcela é de 25%. 

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!