COTAÇÃO DE 12/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2220

VENDA: R$5,2230

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2030

VENDA: R$5,3800

EURO

COMPRA: R$6,3751

VENDA: R$6,3780

OURO NY

U$1.837,16

OURO BM&F (g)

R$309,12 (g)

BOVESPA

+0,87

POUPANÇA

0,2019%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Juntos Pelas Empresas De Minas

Seminário do DC aponta a inovação como fundamental

COMPARTILHE

O segundo dia da primeira edição do seminário on-line #JuntosPelasEmpresasDeMinas, promovido pelo DIÁRIO DO COMÉRCIO, em parceria com o Instituto Capitalismo Consciente Brasil e as empresas Legacy 4 Business e Business Tomorrow, foi composto por três painéis: “Novos Modelos de Negócios em Tempos de Mudanças”; “Os Desafios de Estar Bem nos Tempos Atuais” e “Construindo Legados”.

O objetivo do webinar é fornecer subsídios para promover reflexões sobre como podemos construir negócios melhores para uma sociedade melhor. Os painéis foram distribuídos em três trilhas de conhecimentos: “Inspirar e Propagar”; “Realizar e Transformar” e “Propósito e Legado”.

PUBLICIDADE

No primeiro painel, às 10 horas, a inovação no contexto da pandemia do Covid-19 e como ferramenta de recuperação de empresas e mercados deu a tônica do encontro.

Foram convidados: o diretor técnico na Neo Ventures, Vinícius Roman; o gerente-geral de Inovação, Novos Negócios e Açolab na ArcelorMittal, Rodrigo Carazolli; a presidente do Brain – Centro de Inovação em Negócios Digitais da Algar, Zaima Milazzo; e a gerente de Novos Negócios e Parcerias da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), Janayna Bhering. A mediação foi conduzida pela editora do DIÁRIO DO COMÉRCIO, Gabriela Pedroso.

Entre as muitas mensagens trazidas pelos painelistas estava a necessidade de desmistificação do próprio termo “inovação”. “Falamos de inovação em várias perspectivas, ela não precisa ser disruptiva pra ser inovação. E pode acontecer internamente ou com a ajuda de parceiros, a chamada inovação aberta”, explicou Roman.

Questionada sobre o que é preciso para mudar o ambiente de negócios para que a inovação e o empreendedorismo possam ser alavanca de desenvolvimento do Estado, a gerente de Novos Negócios e Parcerias da Fundep, respondeu:

“Abertura cultural. No momento que as empresas percebem que não precisam ter uma inovação disruptiva, que se inovarem um pouco a cada dia terão um negócio inovador, tudo fica mais fácil. Nunca vivemos um cenário ao propício para a inovação aberta. Existe uma grande possibilidade de interação entre empresas agora. Criamos um manual básico na ACMinas (Associação Comercial e Empresarial de Minas) sobre termos que estão sendo muito citados sobre o tema inovação e que precisamos desmitificar essa relação entre empresas e empresas e universidade”, analisou Janayna Bhering.

Rapidez na tomada de decisão e uma estratégia que entenda a inovação como ferramenta fundamental foram apontadas pelos especialistas como pontos definitivos para que as empresas atravessem o período crítico da crise econômica causada pelo novo coronavírus e que não podem, de nenhuma maneira, ser abandonadas no pós-crise.

“O Açolab é o primeiro laboratório de inovação de uma empresa de aço do mundo, com ele visamos gerar valor para a empresa, gerando competitividade e temos compromisso com o ecossistema. Queremos que o ecossistema de onde atuamos se fortaleça. Essa crise gerou novos comportamentos e valores que vieram pra ficar. Não vamos ser como éramos antes e nem como somos agora. A presença on-line vem pra ficar. Quem não acreditava está revisando seus planos. A digitalização dos processos internos está ganhando uma velocidade que não imaginávamos. Estamos descobrindo outros modelos de trabalho. De algum jeito é um momento de oportunidade. Novos modelos de negócios vão surgir e é preciso estarmos atentos”, pontuou Carazolli.

Adaptação – Os pilares do Brain – Mudança e evolução do mindset de inovação; soluções próximas ao core das empresas; desenvolvimento de “avenidas tecnológicas” e desenvolvimento de novos negócios, podem ser apropriados por outras empresas adaptados às necessidades específicas de cada uma.

“Pensarmos o que será esse novo mundo pós-pandemia foi importante para repaginarmos o nosso portfólio de projetos. As empresas vencedoras vão eliminar custos excessivos e criar uma lista de projetos que vão formar o seu próximo modelo de negócio. E elas vão agir rápido. Entre as lições que aprendemos com essa crise e o surgimento de um novo normal, percebemos a intensificação das soluções compartilhadas; destaque para a cadeia de suprimentos; saúde e escritórios on-line e canais digitais essenciais”, destacou Zaima Milazzo.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!