COTAÇÃO DE 15/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2370

VENDA: R$5,2380

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2600

VENDA: R$5,4070

EURO

COMPRA: R$6,2090

VENDA: R$6,2103

OURO NY

U$1.793,52

OURO BM&F (g)

R$303,17 (g)

BOVESPA

-0,96

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio zCapa
Crédito: Divulgação
Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

Em Minas Gerais, o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), que mede o faturamento da atividade agropecuária “dentro da porteira”, com base nos dados até agosto, deve alcançar a receita de R$ 82,75 bilhões em 2020, valor 19,8% maior do que o registrado em 2019, segundo dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O resultado está sendo puxado, principalmente, pela soja, bovinos, café e milho.

De acordo com o superintendente de Inovação e Economia Agropecuária da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Carlos Eduardo Oliveira Bovo, o crescimento expressivo do VBP, em Minas Gerais, se deve à safra recorde de grãos, uma maior safra de café e à valorização das principais commodities tanto no mercado interno quanto no externo.

PUBLICIDADE

“O VBP é uma conjuntura de fatores que são expressos através do crescimento de produção, produtividade e o momento muito favorável para o setor agropecuário. Além do recorde na safra de grãos, os preços internos estão em valorização, pela entressafra, e os preços externos também estão em alta. Estamos com a balança comercial favorável, com o dólar elevado e, além disso, ampliamos os embarques. Tudo isso tem contribuindo para a consolidação de um VBP maior em 2020”, explicou.

Ainda segundo Bovo, a safra expressiva de café e a abertura de novos mercados, o que favoreceu a comercialização de carne bovina, por exemplo, também contribuíram para a elevação do VBP.

Segundo dados do Mapa, para a agricultura, a projeção é de uma alta de 21,54% em 2020 na comparação com o ano passado, com faturamento bruto de R$ 52,8 bilhões. Este comportamento reflete principalmente a maior produção e valorização de preços com destaque para a soja, milho e café. 

Cafeicultura – O café, principal produto da agricultura mineira, terá uma safra maior e os preços seguem mais valorizados em relação ao ano passado. Com isso, a estimativa é de um VBP de R$ 18,5 bilhões, aumento de 51,49% frente a 2019. Neste ano, a produção de café, em Minas Gerais, segundo os dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), deve somar 30,7 milhões de sacas a 32 milhões de sacas de café. Os números representam incremento entre 25,1% e 30,7%, respectivamente, em relação à temporada anterior.

Somente o faturamento bruto do café arábica foi estimado em R$ 18,3 bilhões, o que representa um avanço de 51,88% sobre 2019. Para o café conilon, a previsão é de um VBP de R$ 104,3 milhões, aumento de 3,73%.

Soja: Mapa estima 37,4% de incremento

A estimativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) é que o VBP da soja some R$ 10,1 bilhões em 2020, o que se alcançado será 37,43% maior que o registrado no ano passado. Neste ano, a produção mineira da oleaginosa cresceu 14,6% alcançando o volume recorde de 6,17 milhões de toneladas.

Para o milho foi estimado aumento de 23,99% no VBP, que deve encerrar 2020 em R$ 6,33 bilhões. Na safra 2019/20, Minas Gerais colheu um volume total de 7,52 milhões de toneladas, pequena variação negativa de 0,1%. Mesmo com a estabilidade na produção, os preços do milho estão em alta, o que contribuiu para a valorização do VBP.

O faturamento bruto da produção de feijão está estimado em R$ 2,55 bilhões, variação positiva de 15,45%. Resultado positivo também é esperado no amendoim, com VBP estimado em R$ 38,7 milhões, 62,58% a mais. Para a laranja foi projetada alta de 1,35% no VBP de 2020, com R$ 568,9 milhões de faturamento.

Já a cana-de-açúcar apresenta projeção negativa em relação ao faturamento bruto para 2020. A estimativa é de um VBP de R$ 7,41 bilhões, queda de 3,82%. No caso do algodão, a tendência é de uma queda de 7,14% no faturamento da produção, que deve alcançar R$ 1,14 bilhão.

A cultura da banana foi estimada em R$ 1,63 bilhão, valor 13,3% menor. Queda também é esperada na produção de batata inglesa, com VBP estimado em R$ 2,5 bilhões, menor em 17,92%.

VBP da pecuária mineira deverá crescer 16,8%

Assim como na agricultura, o faturamento bruto da pecuária de Minas Gerais, em 2020, com base nos dados coletados até agosto, deve crescer. A estimativa é de um VBP de R$ 29,9 bilhões, valor 16,84% superior aos R$ 25,6 bilhões registrados em 2019, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Dentre os produtos, a maior alta vem sendo registrada na produção de bovinos. A estimativa é de um faturamento 20,18% superior, chegando a R$ 10,1 bilhões. A receita bruta da produção de leite deve crescer 1,03% somando R$ 10,5 bilhões.

A produção de ovos apresentou alta de 11,05% no faturamento, que está estimado em R$ 1,38 bilhão.

No segmento de produção de frango foi estimada queda de 5,02% e faturamento de R$ 5,19 bilhões. A produção de suínos, por sua vez, deve movimentar R$ 2,64 bilhões, a variação em relação ao ano passado não foi calculada.

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!