Aneel anuncia bandeira verde na conta de luz em fevereiro
Crédito: Divulgação

São Paulo – A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu em reunião ontem prorrogar em quatro meses o prazo para entrada em operação comercial de todos projetos de transmissão de energia atualmente em construção no País que não sejam considerados prioritários para o sistema elétrico.

A medida veio após diversas empresas do setor terem relatado dificuldades para avançar com as obras devido às medidas de isolamento adotadas por governos e prefeituras contra a disseminação do coronavírus e por problemas com fornecedores também decorrentes da pandemia.

A decisão do regulador poderá ter impactos sobre companhias de transmissão de energia como Cteep e Taesa, mas as empresas também terão a opção de antecipar a conclusão dos empreendimentos caso desejem, de acordo com as condições originalmente previstas em suas outorgas.

O prazo adicional deverá ser válido para 255 projetos em andamento cuja operação era prevista para após 11 de março – data em que o coronavírus foi descrito como pandemia.

Outros 171 empreendimentos não poderão ter data de entrega adiada por serem considerados prioritários pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Isso envolve linhas de transmissão que quando prontas eliminarão necessidades de corte de carga ou de restrição de geração.

A Aneel ainda determinou que o ONS estabeleça quais obras previstas no planejamento do setor de transmissão são prioritárias, “ficando as demais sobrestadas até nova avaliação dos efeitos da pandemia do Covid-19”.

A diretora Elisa Bastos, relatora do processo, defendeu que a decisão traz “ganhos mútuos” tanto para as transmissoras, que verão alívio na pressão sobre seus cronogramas, quanto para os consumidores, uma vez que a postergação da entrada dos projetos significará também alívio em custos associados à operação desses ativos. (Reuters)