COTAÇÃO DE 23/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3090

VENDA: R$5,3100

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3230

VENDA: R$5,4630

EURO

COMPRA: R$6,2055

VENDA: R$6,2068

OURO NY

U$1.742,23

OURO BM&F (g)

R$297,77 (g)

BOVESPA

+1,59

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Arrecadação estadual registra alta real de 9,9%

COMPARTILHE

IPVA
Em Minas, maiores receitas entre janeiro e março deste ano vieram ICMS seguido pelo IPVA | Crédito: AGÊNCIA BRASIL

O governo do Estado projeta um déficit de R$ 16,2 bilhões para este ano, fruto de uma previsão de R$ 105,7 bilhões em receitas e de R$ 121,9 bilhões de despesas. Apenas no primeiro trimestre a arrecadação de Minas Gerais somou R$ 21,7 bilhões ou o equivalente a 20,5% do total estimado para o exercício. Apesar do recrudescimento da pandemia de Covid-19 nos primeiros meses de 2021 e a consequente limitação de funcionamento de muitas atividades econômicas, o montante ainda é maior que os R$ 18,7 bilhões arrecadados nos três primeiros meses do ano passado.

Os dados são da Secretaria de Estado da Fazenda (SEF) e revelam ainda que as maiores receitas entre janeiro e março deste ano vieram do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), o mais importante para os cofres públicos, seguido pelo Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

PUBLICIDADE

Além disso, ao descontar a inflação oficial do País nos últimos 12 meses até março – medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que foi de 6,1%, o recolhimento no Estado cresceu, em termos reais, 9,9% nos primeiros três mês deste exercício frente a mesma época do ano anterior – já que a alta nominal foi de 16%.

Apenas em março, a arrecadação de Minas Gerais chegou a R$ 6,2 bilhões. Em igual época do ano anterior o valor havia sido R$ 5,3 bilhões, aumento de 16,9% entre os períodos.

No trimestre, somente com a receita tributária, o recolhimento em Minas chegou a R$ 20,7 bilhões, alta de 15,6% em relação ao montante nos primeiros três meses de 2020, que ficou na casa dos R$ 17,9 bilhões. A arrecadação de tributos correspondeu a 95% do total do período. Já as outras receitas, que englobam multas, juros e dívida ativa, somaram R$ 936 milhões nos três primeiros meses deste ano.

O pagamento do ICMS totalizou R$ 14,7 bilhões no acumulado de janeiro a março, com crescimento de 17,6% em relação a igual época de 2020, quando foi de R$ 12,5 bilhões.

Já o pagamento do IPVA totalizou R$ 4,6 bilhões neste ano. Sobre o valor recolhido no ano passado (R$ 4,3 bilhões) foi registrada alta de 6,9%, conforme as informações da SEF. As taxas recolhidas chegaram a R$ 1,062 bilhão, enquanto há um ano somaram R$ 887 milhões.

Por fim, a cobrança dos débitos referentes à dívida ativa gerou o recolhimento de R$ 128 milhões no primeiro trimestre de 2020 contra R$ 99 milhões entre janeiro e março do exercício passado.

Orçamento 2021

O déficit de R$ 16,2 bilhões estimado pelo governo de Minas para este ano é fruto da estimativa de R$ 105,7 bilhões em receitas e de R$ 121,9 bilhões de despesas. A expectativa de receitas é mais uma vez puxada pela arrecadação tributária, equivalente a R$ 68 bilhões – uma redução de 2,5% em relação à esperada para 2020. O ICMS é responsável por cerca de 75% desse valor (R$ 51,2 bilhões), mas também com previsão de queda na comparação com o ano anterior, de 4,2%.

De toda maneira, o déficit deverá ficar abaixo dos R$ 46 bilhões resultantes da diferença entre os R$ 110,47 bilhões de despesa fixada e os R$ 63,941 bilhões arrecadados em 2020 – em função dos impactos econômicos da pandemia de Covid-19.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!