COTAÇÃO DE 05/03/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6825

VENDA: R$5,6835

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6670

VENDA: R$5,8430

EURO

COMPRA: R$6,7719

VENDA: R$6,7732

OURO NY

U$1.698,69

OURO BM&F (g)

R$310,22 (g)

BOVESPA

+2,23

POUPANÇA

0,1159%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque exclusivo

Arrecadação federal em Minas tem alta de 4% em fevereiro

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Crédito: Bruno Domingos/Reuters

O recolhimento de impostos, contribuições e tributos federais no Estado somou R$ 7,689 bilhões em fevereiro, montante 38% menor que o registrado no mês imediatamente anterior, quando a arrecadação em Minas Gerais chegou a R$ 12,399 bilhões.

Já em relação ao mesmo período do ano passado, quando o recolhimento foi de R$ 7,391 bilhões, houve alta de 4%.

PUBLICIDADE

Os dados são da Receita Federal do Brasil (RFB) e indicam que, no segundo mês deste ano, o Estado respondeu por 6,6% do total do País, cujas receitas arrecadadas somaram R$ 116 bilhões.

No acumulado do primeiro bimestre, a arrecadação federal em Minas totalizou R$ 20 bilhões sobre R$ 18,5 bilhões nos mesmos meses de 2019. Isto representa alta de 8,1% entre os períodos.

Já o crescimento real foi de 7,64%, quando descontada a inflação oficial do País no período – medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) -, que foi de 0,46%.

Em fevereiro, somente o valor administrado pela RFB somou R$ 7,672 bilhões. Na comparação com janeiro (R$ 12,37 bilhões) houve um recuo de 38%. Já em relação a igual mês do ano passado (R$ 7,358 bilhões) foi registrada expansão de 4,2%
Já a arrecadação do Imposto de Renda (IR) gerou uma receita de R$ 1,531 bilhão no segundo mês deste exercício.

O montante significou baixa de 66,3% frente ao apurado em janeiro (R$ 4,545 bilhões). Em relação ao mesmo mês de 2019 (R$ 1,467 bilhão) foi registrada alta de 6,8%.

IR – O recolhimento do IR referente às pessoas jurídicas representou 42,65% do total recolhido com o imposto no período (R$ 653 milhões) e o referente às pessoas físicas respondeu por praticamente 19% (R$ 291 milhões).

Assim, no segundo mês de 2020, a arrecadação do IR junto às pessoas físicas no Estado saltou 123%, somando R$ 291 milhões contra R$ 130 milhões em janeiro. Na comparação com idêntica época do ano anterior, quando o valor chegou a R$ 209 milhões, foi verificado aumento de 39%.

Já a arrecadação do IRPJ em Minas somou R$ 653 milhões em fevereiro sobre R$ 3,45 bilhões no primeiro mês de 2020, recuo de 81%. Em relação ao total arrecadado com o IR de pessoas jurídicas no mesmo período um ano antes foi apurada baixa de 6%, conforme a Receita (R$ 695 milhões).

O recolhimento da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) em Minas somou R$ 978 milhões em fevereiro, representando baixa de 13% sobre o primeiro mês de 2020 (R$ 1,134 bilhão). Frente a igual período do ano anterior (R$ 962 milhões) houve alta de 1,6%. A arrecadação da Cofins respondeu por 12,7% do total global no Estado no segundo mês deste exercício.

O pagamento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em Minas Gerais somou R$ 564 milhões em fevereiro deste exercício, com baixa de 1,5% na comparação com o total de fevereiro do ano anterior (R$ 573 milhões).

O Programa de Integração Social/Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep) gerou o recolhimento de R$ 336 milhões no segundo mês de 2020, com queda de 12,95% em relação ao período imediatamente anterior (R$ 386 milhões) e incremento de 4% sobre os R$ 323 milhões de 2019.

Já o recolhimento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) somou R$ 101 milhões em fevereiro deste ano, enquanto que em janeiro foi de R$ 97 milhões, aumento de 4,1%. Sobre o montante do mesmo intervalo do exercício anterior (R$ 83 milhões), o aumento foi de 21,6%.

Conforme os dados da Receita Federal, o recolhimento do Imposto de Importação em fevereiro deste ano (R$ 94 milhões) caiu 14,5% na comparação com o do primeiro mês (R$ 110 milhões) e subiu 17,5% em relação ao mesmo período um exercício antes (R$ 80 milhões).

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente