COTAÇÃO DE 21-06-2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,0220

VENDA: R$5,0230

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,0200

VENDA: R$5,1830

EURO

COMPRA: R$5,9972

VENDA: R$5,9999

OURO NY

U$1.783,34

OURO BM&F (g)

R$288,80 (g)

BOVESPA

+0,67

POUPANÇA

0,2446%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Balança comercial brasileira tem superávit de US$ 10,3 bi em abril

COMPARTILHE

Crédito: REUTERS/Amanda Perobelli

Brasília – A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 10,349 bilhões de em abril, maior saldo para todos os meses da série do governo, impulsionada principalmente por uma concentração de exportações de soja, que atingiu volume recorde, e pela alta dos preços de commodities como minério de ferro e petróleo.

No mês, as exportações totais do País somaram US$ 26,481 bilhões, um salto de 50,5% sobre abril do ano passado na comparação pela média diária, e superando o recorde anterior, de agosto de 2011 (US$ 26,076 bilhões), informou o Ministério da Economia ontem.

PUBLICIDADE

As exportações de soja aumentaram 43% no período e responderam por 27% das vendas totais do País ao exterior em abril. Os fortes embarques do grão em março e abril ocorreram após um atraso da safra recorde, que reduziu a exportação brasileira no início da temporada e preocupou o mercado global. O Brasil é o maior exportador mundial de soja.

Já o valor das exportações de minério de ferro e seus concentrados tiveram alta de 106% sobre a média diária de abril do ano passado, impactados por uma alta dos preços.

Em entrevista à imprensa para comentar os dados da balança comercial, o subsecretário de Inteligência e Estatística de Comércio Exterior do ministério, Herlon Brandão, chamou atenção para o aumento da demanda global.

“Os países asiáticos (estão) em recuperação e outros parceiros econômicos do Brasil importantes, que demandam produtos, como Estados Unidos, Argentina, União Europeia. Então, é natural que, em um contexto de recuperação econômica internacional, haja uma demanda crescente”, pontuou.

As importações foram de US$ 16,132 bilhões no mês passado, com alta de 41,1% pela média diária em comparação ao mesmo período de 2020. Brandão classificou como “natural” a maior demanda por bens importados em um momento de recuperação da economia.

No período, registrou-se aumento de 1,6% na importação de bens agropecuários, 35,5% da indústria extrativa e 42,6% em produtos da indústria de transformação.

O superávit comercial, ainda que recorde da série do governo que tem início em 1997, veio abaixo do estimado em pesquisa da Reuters com economistas, que apontava para um saldo de US$ 11,404 bilhões para o período.

No acumulado do ano, a balança comercial registra superávit de US$ 18,257 bilhões dólares, ante US$ 8,955 bilhões de janeiro a abril de 2020.

Em abril do ano passado, a balança teve superávit comercial de US$ 6,163 bilhões.

Segundo Brandão, a projeção para o superávit comercial recorde para este ano, de US$ 89,4 bilhões, permanece, com a previsão já tendo incorporado a revisão de metodologia para as estatísticas da balança comercial. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!