COTAÇÃO DE 23/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3090

VENDA: R$5,3100

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3230

VENDA: R$5,4630

EURO

COMPRA: R$6,2055

VENDA: R$6,2068

OURO NY

U$1.742,23

OURO BM&F (g)

R$297,77 (g)

BOVESPA

+1,59

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Comércio mineiro pede ajuda ao TJ para volta das atividades do setor

COMPARTILHE

comércio
Crédito: Adão de Souza

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH), Marcelo de Souza e Silva, se reuniu, nessa quinta-feira, com o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador Gilson Soares Lemes. 

Na ocasião, foi entregue ao presidente do TJMG documento assinado por quatro entidades representativas de segmentos da economia do Estado – CDL-BH, Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Minas Gerais (FCDL-MG), Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Minas Gerais (Federaminas) e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio-MG), no qual solicitam apoio para que o setor de comércio e serviços possa voltar a funcionar.

PUBLICIDADE

De acordo com as entidades, somente no último mês o setor sofreu um prejuízo de R$ 8,8 bilhões e cerca de 203 mil empresas foram obrigadas a fechar suas portas definitivamente. Outro dado alarmante é que 32% das empresas tiveram que demitir funcionários para sobreviver.

As entidades reforçaram também que “não há qualquer relação entre o avanço da pandemia e aumento das contaminações com a permissão ou restrição ao funcionamento do comércio em qualquer uma das regiões do nosso Estado, inclusive a Capital, que vem adotando o fechamento desde o início da pandemia. O que está constatado é o aumento após feriados, períodos festivos, realização de viagens e aglomerações de pessoas em festas e eventos clandestinos”.

Além da autorização para que o setor de comércio e serviços volte a funcionar, as entidades também ressaltaram a importância da realização de campanhas de conscientização e o reforço da fiscalização para que se possa evitar as aglomerações já citadas e que não têm relação com o funcionamento das atividades comerciais, bem como a punição dos envolvidos.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!