CRÉDITO: DIVULGAÇÃO

Mais uma vez, o comércio exterior de Minas Gerais encerrou o ano com as commodities, especialmente as minerais e agrícolas, dominando a pauta de exportações. Em 2019, o superávit da balança comercial do Estado chegou a US$ 15,933 bilhões, montante 4,8% superior aos US$ 15,201 bilhões apurados em 2018. Os dados são do Ministério da Economia.

Ao todo, no ano passado, Minas exportou US$ 24,888 bilhões em mercadorias, com participação de praticamente 10% do total nacional, o terceiro maior exportador do País. Na comparação com as remessas ao exterior em 2018 (US$ 24,273 bilhões), houve elevação de 2,53%.

Por outro lado, as importações mineiras no decorrer de 2019 caíram em relação ao exercício anterior. As compras externas do Estado somaram US$ 8,955 bilhões sobre US$ 9,072 bilhões, um recuo de 1,2%, com base nos dados do ministério.

Em termos de volume, as exportações de 2019 alcançaram 139 milhões de toneladas sobre as 161 milhões de toneladas apuradas no acumulado de 2018. Isso representou uma retração de 13,77% entre os períodos. Já as importações chegaram a 10,705 milhões de toneladas contra 10,778 milhões de toneladas um ano antes, o que gerou uma leve queda de 0,67% entre os exercícios.

Dezembro – Somente no último mês do exercício passado, as exportações mineiras chegaram a US$ 1,732 bilhão, enquanto as importações somaram US$ 710 milhões. Isso gerou um saldo de US$ 1,022 bilhão em dezembro de 2019. Na mesma época de 2018, os embarques do Estado somaram US$ 2,193 bilhões e as compras US$ 662 milhões, com saldo de US$ 1,531 bilhão. Houve retração de 33,24% entre os meses de ambos os exercícios.

Em volume, Minas Gerais exportou 8,8 milhões de toneladas em dezembro do ano passado contra mais de 13,4 milhões de toneladas um ano antes, o que gerou uma queda de 34,51% entre os períodos. Nas importações os números foram de 1,1 milhão de toneladas e 987 mil toneladas, respectivamente, gerando um aumento de 14,38%.

Itens – Em termos de produtos, no caso das exportações, as vendas ao exterior continuaram concentradas em commodities minerais e agrícolas. As remessas de minério de ferro ao exterior em 2019 somaram US$ 7,863 bilhões, 16,09% superior aos valores de 2018 (US$ 6,773 bilhões).

Por outro lado, em volume, os embarques de minério a partir de Minas Gerais caíram 12,85% em 2019 sobre o ano anterior. Ao todo foram 122 milhões de toneladas no ano passado e 140 milhões de toneladas em 2018. O desempenho pode ser atribuído à paralisação parcial das atividades minerárias no Estado, após o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), ocorrido há um ano.

Em igual confronto, as vendas externas de café renderam US$ 3,496 bilhões ao Estado, com elevação de 8,8% aos US$ 3,213 bilhões apurados um ano antes. Os volumes chegaram a 1,616 milhão de toneladas em 2019 e 1,311 milhão de toneladas em 2018, alta de 23,2% entre os exercícios.

Em relação às importações do Estado, o produto mais comprado por Minas Gerais no mercado internacional em 2019 foi a hulha betuminosa, que é o carvão mineral, usado nos altos-fornos de usinas siderúrgicas. Ao todo foram aportados US$ 640 milhões no ano, valor 0,62% menor que em 2018, quando apenas US$ 644 milhões haviam sido destinados. O volume caiu 3,69%, saindo de 433 mil toneladas em 2018 para 474 mil toneladas no ano passado.