COTAÇÃO DE 26-01-2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4400

VENDA: R$5,4410

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4570

VENDA: R$5,5870

EURO

COMPRA: R$6,1271

VENDA: R$6,1288

OURO NY

U$1.816,48

OURO BM&F (g)

R$319,89 (g)

BOVESPA

+0,98

POUPANÇA

0,6443%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque

Confiança do comércio tem queda na Capital em maio

COMPARTILHE

" "
Crédito: REUTERS/Sergio Moraes


O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) de Belo Horizonte retraiu 27,1 pontos em maio na comparação com abril (121,8 pontos), chegando a 94,7 pontos. A última vez que os números ficaram abaixo dos 100 pontos – fronteira entre o otimismo e o pessimismo – foi em outubro de 2018, ocasião em que o índice marcou 99 pontos.

Os dados foram elaborados pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG) com as informações da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

PUBLICIDADE




Conforme destaca o economista-chefe da Fecomércio MG, Guilherme Almeida, esses números são um reflexo da conjuntura na qual nos encontramos no momento: a da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O cenário, ressalta, é carregado de incertezas.

Nesse aspecto, há duas situações que mais têm influenciado o pessimismo dos empresários, de acordo com Guilherme Almeida. Primeiramente, as medidas de isolamento social, adotadas como forma de combater a doença, que impossibilitam muitas empresas de operar.

Depois, tem também o próprio comportamento das famílias, que estão mais cautelosas. Muitas foram afetadas pelo desemprego e/ou pelo achatamento na renda. Isso, diz o economista-chefe da Fecomércio MG, acaba fazendo com as perspectivas empresariais fiquem deterioradas.

Mais dados – O Icec é composto por alguns subindicadores. Assim, o levantamento também mostra que Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (Ieec) foi um dos que mais contribuíram para a queda acentuada da confiança em maio. Os números chegaram a 116,4 pontos no mês passado. Foi o menor resultado em três anos. Em abril, o Iceec marcou 154,4 pontos.




Já o Índice de Condições Atuais do Empresário do Comércio (Icaec) atingiu 80,5 pontos em maio, queda de 26 pontos na comparação com abril (106,5 pontos)

Por fim, o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (Iiec), chegou a 87,3 pontos em maio, ante 104,5 pontos em abril.

Os números baixos são preocupantes. Conforme destaca Almeida, “a confiança é uma das bases que fundamentam as decisões dos agentes econômicos. Ela é essencial para que o desenvolvimento ocorra”, pontua.

Almeida explica que a confiança antecede os demais indicadores, pois empresários mais confiantes investem mais e consumidores mais confiantes consomem mais, o que alavanca PIB.

“A confiança do empresário é fundamental na decisão de investir em uma nova planta produtiva, em uma nova modalidade operacional, em contratações”, conclui.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!