COTAÇÃO DE 26/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$6,6420

VENDA: R$6,6450

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Consumo aparente recua 0,2% em abril

COMPARTILHE

O Indicador Ipea de Consumo Aparente de Bens Industriais, que é definido pela produção industrial interna descontadas as exportações e acrescidas as importações, registrou queda de 0,2% em abril, em relação ao mês de março, na comparação com ajuste sazonal. Na avaliação trimestral, de fevereiro a abril, o recuo foi de 1,4%. Os dados foram divulgados ontem pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

A análise aponta que a produção interna líquida (descontadas as exportações) caiu 0,3% em abril, em relação ao mês anterior, enquanto as importações de bens industriais recuaram 0,9% no período.

PUBLICIDADE

O resultado foi heterogêneo na análise das grandes categorias econômicas. Os segmentos de bens de capital e de bens de consumo mostraram crescimento de 0,3% e de 2,6%, respectivamente, frente a março. Já a demanda interna por bens intermediários caiu pelo terceiro mês consecutivo, com retração de 1,3%.

Com relação às classes de produção, a demanda interna por bens da indústria de transformação teve alta de 1,6% em abril em relação ao mês de março. Na classificação setorial, de um total de 22 segmentos, dezoito mostraram crescimento, com destaque para o consumo aparente de produtos farmoquímicos, que cresceu 10,2%, e para a demanda por alimentos, que teve aumento de 8,6%. Já a demanda nas indústrias extrativas seguiu com alta volatilidade, ainda por conta dos efeitos associados ao acidente na barragem de Brumadinho. Após o avanço de 13,8% em março, o setor voltou a ter forte recuo em abril, com queda de 25,3% frente a março.

Na comparação interanual, com abril de 2018, o Indicador Ipea de Consumo Aparente mostra recuo de 7,6% na demanda interna por bens industriais. Esse desempenho voltou a ser pior que o da produção industrial, que encolheu 3,9% segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado negativo foi observado em todas as categorias na comparação com abril do ano passado, com destaque para o segmento de bens intermediários, que caiu 6,9%. (Com informações do Ipea).

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!