COTAÇÃO DE 19/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5930

VENDA: R$5,5940

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,7770

EURO

COMPRA: R$6,4569

VENDA: R$6,4588

OURO NY

U$1.768,97

OURO BM&F (g)

R$315,96 (g)

BOVESPA

-3,28

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Crédito de ICMS deve atingir R$ 100 bi

COMPARTILHE

Crédito de R$ 100 bilhões compreende a exclusão do ICMS da base de cálculo de PIS-Cofins | Crédito: Bruno Domingos/Reuters Usada em 20-12-19 Usada em 21-01-20 Usada em 16-03-20

Brasília – A Receita Federal estima que o total de créditos tributários derivados de decisão de 2017 do Supremo Tribunal Federal (STF) de excluir o ICMS da base de cálculo do PIS-Cofins seja de cerca de R$ 100 bilhões, incluindo compensações já utilizadas e a serem feitas pelas empresas.

Em entrevista à imprensa ontem, o subsecretário substituto de Arrecadação, Márcio Gonçalves, disse que o cálculo foi feito por grupo de trabalho criado na Receita para acompanhar o tema, que voltará a ser analisado pelo STF no próximo mês.

PUBLICIDADE

O STF marcou para 29 de abril o julgamento do recurso apresentado pela União (embargos de declaração) que vai definir os efeitos e alcance da decisão, estabelecendo se a exclusão do tributo estadual ICMS só valerá a partir da decisão ou se os contribuintes terão de fato direito a compensações por valores recolhidos no passado.

A Receita defende que a decisão só valerá para frente, mas, enquanto a questão não é sanada pelo STF, as empresas têm conseguido, na Justiça, o direito de usar esses créditos para compensar o pagamento de outros tributos.

“Foi criado GT (grupo de trabalho) que está levantando os créditos. A gente está estimando que, entre o que já foi utilizado e ainda pode ser utilizado, (o valor seja) em torno de R$ 100 bilhões “, disse o técnico.

Os créditos gerados por questionamentos judiciais envolvendo o ICMS na base de cálculo do PIS-Cofins têm contribuído para aumentar as compensações tributárias totais, que somaram R$ 36,6 bilhões no primeiro bimestre do ano, alta de 51% sobre o mesmo período de 2020, segundo o Fisco. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!