COTAÇÃO DE 03-12-2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6790

VENDA: R$5,6800

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,7000

VENDA: R$5,8300

EURO

COMPRA: R$6,3643

VENDA: R$6,3655

OURO NY

U$1.784,10

OURO BM&F (g)

R$321,33 (g)

BOVESPA

+0,58

POUPANÇA

0,4739%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Criação de postos “decepciona” nos EUA, mas desemprego recua

COMPARTILHE

Expectativa de economistas ouvidos pela Reuters era de criação de 185 mil novas vagas - Crédito: Robert Galbraith / Reuters

Washington – A criação de vagas de trabalho nos Estados Unidos desacelerou com força em setembro, provavelmente porque o furacão Florence prejudicou os setores de restaurantes e varejo, mas a taxa de desemprego caiu para perto da mínima de 49 anos de 3,7%, indicando um aperto adicional nas condições do mercado de trabalho.

O relatório mensal de emprego do Departamento de Trabalho também mostrou aumento constante dos salários na sexta-feira (5), sugerindo pressões inflacionárias moderadas, o que pode aliviar as preocupações com o superaquecimento da economia e manter o Federal Reserve na trajetória de aumentos graduais da taxa de juros.

PUBLICIDADE

Foram criadas 134 mil vagas de empregos fora do setor agrícola no mês passado, o menor número em um ano, já que os setores de varejo e lazer e hospitalidade fecharam postos de trabalho.

Os dados de julho e agosto foram revisados ​​para mostrar 87 mil vagas a mais do que o informado anteriormente.

Economistas consultados pela Reuters projetavam criação de 185 mil postos de trabalho em setembro e uma queda na taxa de desemprego de 0,1 ponto percentual, para 3,8%.
A economia precisa criar cerca de 120 mil empregos por mês para acompanhar o crescimento da população em idade ativa.

O presidente do Fed, Jerome Powell, disse, na terça-feira (2), que a perspectiva da economia é “notavelmente positiva” e acredita que está à beira de uma era “historicamente rara” de desemprego ultrabaixo e inflação contida.

Um mercado de trabalho robusto está sustentando a economia norte-americana e, junto com o alto nível de poupança, pode sustentar os gastos do consumidor conforme o estímulo do pacote de corte de impostos de US$ 1,5 trilhão do governo norte-americano perde força.

Leia também:

Mercado crê em alta gradual dos juros

Furacão Florence – O Departamento do Trabalho disse que é possível que o furacão Florence, que atingiu as Carolinas do Norte e do Sul em meados de setembro, possa ter afetado o emprego em algumas indústrias. Ele afirmou ainda que é impossível quantificar o efeito líquido sobre o emprego.

Os ganhos médios por hora aumentaram oito centavos, ou 0,3%, em setembro, após subirem 0,3% no mês anterior. Com o aumento de setembro abaixo do ganho de 0,5% registrado durante o mesmo período do ano passado, isso reduz o aumento anual dos salários para 2,8%, de 2,9% em agosto, que foi o maior aumento em mais de nove anos.
O crescimento salarial continua sendo suficiente para manter a inflação em torno da meta de 2% do Fed. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!