Crédito: Freepik

Samuel Wainer

O jornalista Paulo Jerônimo de Sousa (Pagê), presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), e a jornalista Karla Monteiro são os convidados de Afonso Borges para o debate e o lançamento do livro “Samuel Wainer – O Homem que Estava Lá” (Cia das Letras), escrito por Karla.

Trata-se da biografia deste homem que revolucionou o jornalismo brasileiro e testemunhou eventos decisivos do Brasil no século XX. Essa será mais uma edição virtual do “Sempre Um Papo”, com transmissão ao vivo no Youtube, Instagram e Facebook do projeto. O encontro vai acontecer hoje, às 20 horas. Samuel Wainer (1912-1980) foi dos maiores nomes da imprensa brasileira de todos os tempos. Fundador da cadeia de jornais Última Hora, transformou a indústria da notícia no País, em especial por meio da valorização profissional dos jornalistas e do design arrojado de suas publicações.

“Bandeiras na janela”

A instalação “Bandeiras na janela”, que ocupa o antigo prédio da Escola de Engenharia da UFMG, será um momento para amplificar as vozes e desejos da classe artística e dos movimentos sociais num ano em que a janela, virtual ou real, se tornou um dos poucos espaços onde pessoas do mundo todo conseguem se expressar e manifestar. Localizado na avenida do Contorno, nº 842, Centro, o prédio Álvaro da Silveira foi construído na década de 60 e abrigou parte da Escola de Engenharia da UFMG até 2010.

“Bandeiras na janela” é uma instalação concebida pela curadoria do festival que convidou cinco artistas para reproduzirem em grande escala suas obras. São eles Denilson Baniwa, Randolpho Lamonier, Célia Xakriabá, Ventura Profana (e Cólera e Alegria). Os trabalhos carregam em suas propostas a potência do manifesto, da crítica e do sonho.

Cyro dos Anjos

A literatura permite ao leitor conhecer a perspectiva de personagens e escritores em cenários econômicos e políticos distintos. Com isso em mente, o professor Emílio Maciel apresenta a palestra “Rotina e Quimera: Cyro dos Anjos e o romance de 30”, a partir da leitura de “O amanuense Belmiro”. O conteúdo estará disponível no canal de Youtube da Academia Mineira de Letras a partir de hoje, às 11 horas. A partir de uma leitura cerrada de alguns trechos decisivos de “O amanuense Belmiro”, de Cyro dos Anjos, o palestrante busca discutir o tenso e sutil diálogo do romance com os dilemas estéticos e políticos do período, bem como os nada pequenos desafios que isso impõe à sua vasta e riquíssima fortuna crítica.

Adana Kambeba

Hoje, às 20 horas, vai ao ar o terceiro episódio da websérie #Quarentemas, que integra o projeto Teatro EmMov Digital. A atriz indígena Adana Omágua Kambeba (AM) protagoniza o episódio inédito “Ser Solar”. Adana Kambeba atuou nos filmes “Xingú” (Cao Hamburger) e “As órfãs da rainha” (Elza Cataldo). Atualmente, vive em Belo Horizonte e é estudante de medicina na UFMG. É compositora e cantora de cantos indígenas (língua Tupi Amazônico-Nheengatu) e participa do Movimento Indígena através da divulgação e promoção da existência do povo Omágua-Kambeba (AM), do qual faz parte, e dos valores indígenas. A websérie #Quarentemas vai ao ar pelo perfil do Instagram (@teatroemmovimento) e pelo canal no Youtube (teatroemmovimento).

Lei Aldir Blanc

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) dá sequência hoje ao Seminário Virtual Lei Aldir Blanc, iniciado ontem. O objetivo é discutir a lei federal para auxílio ao setor cultural e as ações necessárias para a sua operacionalização no Estado. A Lei 14.017 foi publicada em 29 de junho de 2020 e dispõe sobre ações emergenciais destinadas a essa área a serem adotadas durante o estado de calamidade pública em função da pandemia de coronavírus. A norma leva o nome do compositor e escritor Aldir Blanc, que faleceu em maio vítima da Covid-19. O pagamento do primeiro lote de recursos teve início no último dia 11 de setembro. Outros repasses estão previstos até fim de outubro.