COTAÇÃO DE 21-01-2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4550

VENDA: R$5,4550

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4870

VENDA: R$5,6130

EURO

COMPRA: R$6,1717

VENDA: R$6,1729

OURO NY

U$1.829,52

OURO BM&F (g)

R$320,53 (g)

BOVESPA

-0,15

POUPANÇA

0,6107%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

DI de Barroso vai iniciar operações após quase 30 anos

COMPARTILHE

" "
Crédito: Prefeitura de Barroso/Divulgação

Construído há quase 30 anos, enfim o Distrito Industrial (DI) de Barroso, na região Central de Minas Gerais, entrará em operação. A municipalização dos distritos industriais realizada pelo governo do Estado, que passou a gestão da área da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) para a prefeitura da cidade, desburocratizou os processos e tirou o empreendimento do papel.

As informações são do prefeito de Barroso, Reinaldo Fonseca. Segundo ele, dotado de toda a infraestrutura necessária, o DI já está pronto para receber indústrias de diferentes portes e segmentos que queiram se instalar na cidade.

PUBLICIDADE




“Ao todo, são 44 hectares, dos quais 22 hectares já estão preparados para receber empreendimentos. Há infraestrutura completa, como água, esgoto, energia e pavimentação e já iniciamos o processo de atração de investimentos. Já quanto ao porte e segmento, todos os tipos de negócios são bem-vindos”, revelou.

A Lei 2.863/2019 dispõe sobre as diretrizes para implantação de empresas e administração do DI, autorizando o município a conceder áreas a possíveis interessados por se instalarem na cidade. A concessão será um prazo de 30 anos, podendo ser prorrogado por igual período. Havendo interesse da empresa na aquisição da área, o município poderá promover sua alienação por meio de processo licitatório.

O imbróglio envolvendo o DI de Barroso se arrastou por anos, por questões ambientais. De acordo com Fonseca, a liberação ocorreu no fim do ano passado, após visitas constantes na Superintendência Regional de Meio Ambiente (Supram) e na própria Codemig, de maneira a destravar o licenciamento ambiental.

Por fim, o processo chegou à Superintendência de Projetos Prioritários (Suppri), que enviou um comunicado oficial ao município, aprovando a operação do Distrito Industrial da cidade.




De toda maneira, conforme o prefeito, as décadas de atraso no funcionamento do distrito prejudicaram a atração de empresas e investimentos para a cidade. Neste sentido, ele destacou que empreendimentos como a fábrica da LafargeHolcim, instalada na cidade, estão localizados em áreas das próprias empresas.

“Nos últimos anos, tivemos contatos com alguns investidores, mas, por conta dos atrasos na liberação do distrito, não foram concretizados. Agora, com a conquista da licença ambiental e o apoio do Indi (Instituto Integrado de Desenvolvimento Econômico), esses contatos poderão ser retomados”, comentou.

LEIA TAMBÉM:

São Paulo terá 11 novos polos industriais

DIs – O processo de municipalização dos distritos industriais do Estado teve início em 2015, a partir de um amplo mapeamento realizado nos 53 distritos espalhados pelas cidades mineiras, denominado Programa de Revitalização e Modernização dos Distritos Industriais. Com um detalhamento de cada área, o governo definiu as soluções de infraestrutura que melhor atendiam as empresas e os próprios municípios.

Deste então, áreas foram vendidas e parte dos empreendimentos repassada para gestão dos municípios, como foi o caso do distrito de Barroso.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!