DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2090

VENDA: R$5,2100

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,1800

VENDA: R$5,3600

EURO

COMPRA: R$6,0756

VENDA: R$6,0768

OURO NY

U$1.813,62

OURO BM&F (g)

R$300,00 (g)

BOVESPA

-3,08

POUPANÇA

0,2446%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque

Emplacamentos de veículos no Brasil têm queda de 75% em maio, aponta a Fenabrave

COMPARTILHE

São Paulo – Os licenciamentos de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus novos no Brasil totalizaram 62,197 mil unidades em maio, queda de cerca de 75% em relação ao mesmo mês de 2019, mas alta de 11,6% na comparação com abril, informou ontem a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

De acordo com o presidente da entidade, Alarico Assumpção Júnior, em maio a abertura de algumas concessionárias em determinados estados e o retorno de funcionamento de parte dos Detrans (incluindo São Paulo) já resultaram em pequena melhora para o setor da distribuição.

PUBLICIDADE

“Se o estado e a capital paulista estivessem operando normalmente, os resultados seriam ainda mais expressivos, já que São Paulo representava, antes da crise, mais de 26% das vendas de veículos e passou a representar apenas 0,9%, em abril, e 1,6%, em maio”, explicou em nota.

Segundo a entidade, as vendas de carros e comerciais leves despencaram quase 78% em maio na comparação anual, enquanto as vendas de caminhões tombaram 48,5%. Os emplacamentos de ônibus tiveram baixa de 60,78%. Na comparação com abril, houve aumento em todas as categorias.

No acumulado de 2020, as vendas de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus novos no Brasil já mostra baixa de cerca de 38%, a 675,971 mil unidades.

A Fenabrave também afirmou que não revisará as projeções para 2020 até o fechamento do primeiro semestre em razão das incertezas que cercam a economia e o desempenho do setor da distribuição de veículos, que ainda sofre os efeitos do isolamento social e lockdown em algumas regiões.

“Ainda é prematuro, pois não sabemos quando as atividades retornarão em todos os estados e municípios, tampouco, como reagirá a economia e a oferta de crédito para consumo….Assim como o PIB, devemos ter um resultado inferior ao de 2019, mas só teremos como projetar isso após a retomada plena de todas as concessionárias”, disse o presidente da entidade. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!