COTAÇÃO DE 22/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3030

VENDA: R$5,3040

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3100

VENDA: R$5,4600

EURO

COMPRA: R$6,1939

VENDA: R$6,1967

OURO NY

U$1.768,10

OURO BM&F (g)

R$301,58 (g)

BOVESPA

+1,84

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Coronavírus Economia livre

Estados pedem ao governo medidas para enfrentar período de crise

COMPARTILHE

Crédito: REUTERS/Amanda Perobelli

São Paulo – Os secretários de Fazenda dos governos estaduais pediram a implementação de medidas econômicas urgentes para enfrentar a crise decorrente da pandemia de coronavírus, em carta divulgada após o anúncio pelo governo de pacote para combater os impactos do vírus.

A carta, lançada pelo Comitê dos Secretários de Fazenda dos Estados (Comsefaz), foi assinada pelos 27 secretários estaduais de Fazenda e alerta para o forte impacto da crise do novo coronavírus nas finanças estaduais.

PUBLICIDADE

As propostas dos estados incluem pedido pela liberação emergencial de mais recursos para as Secretarias Estaduais de Saúde; liberação emergencial de recursos livres, para reforço da capacidade financeira dos estados; e suspensão dos pagamentos de amortização e juros de dívidas com a União e bancos públicos, assim como das operações de crédito com aval da União, por 12 meses, postergando os prazos de amortização das operações de crédito enquadradas por igual período.

Os estados pedem ainda, entre outras coisas, a aprovação imediata das medidas contidas no chamado Plano Mansueto, como a liberação de limites e condições para contratação de novas operações de crédito e linhas de crédito do BNDES para os estados.

O Ministério da Economia anunciou na segunda-feira pacote de R$ 147,3 bilhões voltados ao combate dos efeitos do novo coronavírus com medidas que incluem a antecipação de pagamentos obrigatórios, remanejamento de gastos e prorrogação de recolhimento de tributos.

Mas, muitas delas, dependem do aval do Congresso e ainda precisam ser formatadas pela equipe econômica em projetos de lei ou medidas provisórias, em um momento em que os parlamentares ainda discutem o prosseguimento normal dos trabalhos em meio ao surto do coronavírus. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!