COTAÇÃO DE 16 A 18/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4540

VENDA: R$5,4540

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4700

VENDA: R$5,6130

EURO

COMPRA: R$6,3181

VENDA: R$6,3210

OURO NY

U$1.767,23

OURO BM&F (g)

R$309,68 (g)

BOVESPA

+1,29

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Coronavírus Economia livre

Farmácias registram aumento da demanda, na contramão da crise

COMPARTILHE

Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação

O segmento de farmácias tem registrado um aumento das vendas nesse período de isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus. Na contramão de outros setores, como alimentação fora do lar ou salões de beleza, por exemplo, as farmácias tiveram no Brasil um incremento de 15% nas demandas, de acordo com pesquisa feita pelo Boston Consulting Group.

Apesar disso, e mesmo não sendo obrigadas a fecharem as portas, esses negócios também precisam estar atentos aos desafios impostos por esse momento.

PUBLICIDADE

O analista Geraldo da Costa, da unidade de competitividade do Sebrae, lembra que as farmácias – pelo fato de continuarem atendendo ao público – devem redobrar os cuidados para evitar a contaminação dos funcionários e clientes.

“Iniciativas como criar horários alternativos para atender aos grupos de risco, fazer marcações na fila para que seja obedecida a distância mínima entre as pessoas, criar barreiras protetoras nos caixas ou realizar atendimento em domicílio são alguns cuidados que trazem mais segurança e tranquilidade”, comenta Geraldo.

Segundo o especialista, as empresas também não podem deixar de ter em conta os cuidados com a gestão do negócio. “Os donos dos pequenos negócios precisam avaliar se estão usando toda a mão de obra contratada e avaliar a possibilidade de dar férias a parte da equipe, por exemplo”, afirma.

Outra iniciativa importante é aproveitar o momento para capacitar os funcionários por meio das inúmeras ferramentas de qualificação online disponíveis.

Geraldo da Costa lembra ainda que em momentos de crise é fundamental que os empreendedores estejam focados no equilíbrio do fluxo da caixa. Nesse sentido, negociar a redução dos custos do negócio é algo que deve ser buscado permanentemente.

“Ninguém sabe quanto tempo essa crise vai durar e se a alta na demanda nas farmácias vai permanecer. Por isso, discutir a extensão dos prazos de pagamento com fornecedores, os valores e prazos no aluguel das lojas, a redução das taxas dos serviços de entrega… Tudo o que for possível negociar, deve ser tentado”, diz.

Confira algumas dicas para as empresas do setor

  • Garanta o abastecimento dos produtos. As farmácias devem garantir o suprimento de medicamentos e materiais de proteção individual necessários e devem colaborar para a educação em saúde e gerenciamento colaborativo com hospitais e unidades de saúde, em momentos de crise, em saúde pública.
  • Cuidado para não demitir empregados e perder pessoas já preparadas, além de elevar os custos do negócio com demissões.
  • Desenvolva canais alternativos de venda.
  • Se a sua empresa ainda não atua com delivery, esse é o momento de repensar estratégias.
  • Negocie com aplicativos de delivery para que não sejam feitas cobranças de taxa nesse período de crise.
  • Invista em estratégias de marketing nas redes sociais.
Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!