COTAÇÃO DE 26/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$6,6420

VENDA: R$6,6450

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia exclusivo zCapa

Faturamento da indústria mineira caiu 4,9% em 2019

COMPARTILHE

Faturamento da indústria mineira caiu 4,9% em 2019
Crédito: REUTERS/Washington Alves/File Photo

O faturamento do parque fabril do Estado caiu 4,9% em 2019 na comparação com o exercício anterior. Trata-se do pior resultado da indústria mineira nos últimos três anos, segundo a Pesquisa Indicadores Industriais (Index) da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg).

Tanto a indústria extrativa quanto a indústria de transformação apresentaram desempenhos negativos no ano passado.

PUBLICIDADE

De acordo com a analista de estudos econômicos da federação, Julia Silper, o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), ocorrido em janeiro do ano passado, foi um dos fatores para o fraco desempenho da indústria mineira em 2019.

Da mesma maneira, a desaceleração econômica de importantes parceiros econômicos do Estado, como a Argentina, também contribuiu para a queda.

“Somente o faturamento da indústria extrativa diminuiu 42,2% de um ano para outro, influenciando fortemente a queda da indústria mineira em geral. Além das perdas diretas com o rompimento da barragem, tivemos a consequente paralisação parcial da indústria extrativa mineral do Estado no decorrer do exercício. Já no caso da indústria de transformação, o recuo foi de 0,7% no mesmo tipo de confronto”, explicou.

Apenas em dezembro o faturamento do setor caiu 2,2% em relação a novembro, enquanto que sobre o mesmo mês de 2018 a redução foi de 5%.

Da mesma maneira, as horas trabalhadas nas empresas mineiras no decorrer do exercício passado também foram influenciadas pelos resultados impactantes da indústria extrativa e de transformação. Ao todo, o recuo em 2019 chegou a 1,4% frente a 2018. Apenas na indústria extrativa a queda chegou a 20,6%.

Quando considerado o último mês do ano passado, as horas trabalhadas reduziram 0,9% sobre novembro e cresceram 2,3% em relação ao mesmo período um ano antes.

Sinalização positiva – Por outro lado, a analista da Fiemg chamou atenção que alguns indicadores mostraram crescimento moderado ao longo de 2019, como o emprego e, consequentemente, a massa salarial. No caso do emprego, o índice encerrou o ano com avanço de 1,9% sobre o exercício anterior. Apenas em dezembro, houve alta de 3,8% em relação a igual mês de 2018.

“Este é o dado positivo para a indústria em 2019 e está em linha com outras pesquisas, mostrando que o emprego segue em recuperação, ainda que de forma moderada”, ressaltou. No caso da massa salarial, o incremento foi de 1,1% entre os exercícios.

Por fim, Julia Silper avaliou que é possível que o desempenho da indústria mineira em 2020 seja mais promissor. Isso porque, segundo ela, um conjunto de fatores tende a beneficiar as atividades como um todo. “A retomada do mercado de trabalho, a inflação controlada, as taxas de juros em patamares mais baixos e o avanço das reformas estruturantes no Congresso Nacional prometem novo fôlego para a economia”, finalizou.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!