COTAÇÃO DE 24/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3430

VENDA: R$5,3440

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3800

VENDA: R$5,5030

EURO

COMPRA: R$6,2581

VENDA: R$6,2594

OURO NY

U$1.750,87

OURO BM&F (g)

R$301,00 (g)

BOVESPA

-0,69

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Indicador Antecedente de Emprego no Brasil vai a máxima desde fevereiro de 2020 em julho, diz FGV

COMPARTILHE

POR

Mulher coloca currículo em caixa no centro de São Paulo
Crédito: REUTERS/Amanda Perobelli

São PauloO mercado de trabalho doméstico voltou a ganhar força em julho, com o Indicador Antecedente de Emprego no Brasil avançando para patamares pré-pandemia, de acordo com dados informados nesta quinta-feira (05) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O IAEmp, que antecipa os rumos do mercado de trabalho no Brasil, teve alta de 1,6 ponto em julho, a 89,2 pontos, máxima desde fevereiro de 2020 (92,0).

PUBLICIDADE

“O IAEmp mantém em julho a tendência positiva dos últimos meses, retornando ao nível anterior à pandemia”, disse Rodolpho Tobler, economista da FGV Ibre, em nota.

“O resultado positivo sugere que a melhora nos números da pandemia e a redução das medidas restritivas podem estar impulsionando a retomada do mercado de trabalho. Além disso, também há uma expectativa mais favorável em serviços, setor que emprega muito, com a maior circulação de pessoas.”

Os dados da FGV mostraram que, entre os componentes do IAEmp, o indicador que mede a situação corrente dos negócios no setor dos Serviços avançou 10,2 pontos na margem, contribuição de 87% para a alta do índice geral.

Apesar do resultado promissor de julho, “é importante ressaltar que ainda existe um espaço para recuperação e que até mesmo o nível pré pandemia ainda retratava um cenário desafiador no mercado de trabalho”, alertou Tobler.

Dados divulgados pelo IBGE na semana passada mostraram que a taxa de desemprego no Brasil recuou ligeiramente no trimestre encerrado em maio, mas ainda é a segunda mais alta da série histórica, com 14,8 milhões de desempregados, conforme a economia ainda busca engatar uma recuperação dos danos causados pela Covid-19.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!