Crédito: REUTERS/Aly Song

Xangai/Hong Kong – Os índices acionários da China recuaram nesta sexta-feira (28) e encerraram o pior mês desde maio do ano passado, uma vez que os temores sobre o surto de coronavírus se tornar uma pandemia pesou sobre os mercados globais.

A queda de 3,2% do índice de Xangai em fevereiro, entretanto, é modesta em comparação com os outros importantes mercados graças a um rali em meados do mês diante de medidas de apoio do governo.

No dia, o índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 3,55%, enquanto o índice de Xangai teve perdas de 3,71%. Ambos marcaram a pior queda diária desde 3 de fevereiro, quando as infecções estavam rapidamente se espalhando na China.

“Podemos ter subestimado o impacto do surto do vírus fora da China”, disse o analista do China Fortune Securities, Yan Kaiwen.

“Embora a China tenha conseguido controlar rapidamente o surto do vírus, não existem garantias de que outros países poderão fazer o mesmo”, completou.

No mês, o CSI300 recuou 1,6%, enquanto o SSEC caiu 3,2%, registrando o pior mês desde maio de 2019, e a maior perda semanal desde abril.

Em comparação, o japonês Nikkei despencou 9% este mês, e o S&P 500 tinha queda de quase 8% até o fechamento de 27 de fevereiro.

(Reuters)