Milão e Paris – A Nissan fará uma revisão fundamental de seu relacionamento com a Renault se a montadora francesa aceitar a proposta de fusão com a Fiat Chrysler, informou a montadora japonesa ontem.

A proposta em discussão “altera significativamente a estrutura da nossa parceira com a Renault”, disse o presidente-executivo da Nissan, Hiroto Saikawa, em comunicado.

“Isso exigirá uma revisão fundamental da relação existente entre Nissan e Renault”, disse ele, acrescentando que a chegada da FCA como um novo membro da aliança “poderia expandir o campo de pagamentos para colaboração e criar novas oportunidades para novas sinergias”.

A FCA está envolvida em intensas discussões com a Renault e o governo francês sobre a proposta de fusão de US$ 35 bilhões que fez na última segunda-feira para criar a terceira maior montadora do mundo.

FCA e Renault enfatizaram que querem preservar a aliança Renault-Nissan – já prejudicada pela prisão do ex-presidente Carlos Ghosn, que agora enfrenta julgamento no Japão por acusações de fraude financeira. Ele nega as alegações.

A Renault não comentou a declaração do presidente-executivo da Nissan. Mas uma fonte próxima ao conselho de administração da montadora francesa disse que o posicionamento do executivo poderia ter sido pior. “Se você quer dizer não, você diz não”, disse o porta-voz da Renault, Frederic Texier. (Reuters)