COTAÇÃO DE 25/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,8200

VENDA: R$4,8210

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8900

VENDA: R$5,0160

EURO

COMPRA: R$5,1520

VENDA: R$5,1546

OURO NY

U$1.853,68

OURO BM&F (g)

R$287,13 (g)

BOVESPA

-0,98

POUPANÇA

0,6724%

OFERECIMENTO

Economia Economia-destaque exclusivo

Passanezi assume a presidência da Cemig

COMPARTILHE

CRÉDITO: Guilherme Dardanhan
CRÉDITO: Guilherme Dardanhan

O executivo Cledorvino Belini deixou a presidência da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) após estar à frente da estatal por quase um ano. O economista Reynaldo Passanezi Filho assume como novo diretor-presidente da companhia, e a privatização segue nos planos do governador Romeu Zema (Novo).

A informação foi confirmada pela energética, que enalteceu o currículo do novo diretor indicado pelo governo do Estado, que tem experiência na área e já foi presidente da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (Cteep). Ainda conforme a Cemig, Belini permanecerá como membro do Conselho de Administração da empresa.

PUBLICIDADE




O anúncio foi feito na manhã de ontem, em reunião na sede da companhia. O encontro contou com a presença de lideranças da empresa e foi transmitido ao vivo para representantes do interior do Estado. Conforme informações de uma fonte da energética, o combinado entre Belini e Zema era que o executivo que também já presidiu a Fiat ficasse à frente da estatal por apenas um ano.

“Minha saída, como já foi informado, atende a uma necessidade de caráter pessoal. De qualquer forma, a convite do governador, continuarei acompanhando a Cemig em seus desafios, como membro do seu Conselho de Administração”, enfatizou ao se despedir dos funcionários.

“O nosso compromisso é tornar a Cemig a maior empresa do setor elétrico do Brasil. Tenho certeza de que vocês vão conseguir fazer esse trabalho, com a disposição e a garra que vocês têm. Queria agradecer esse período todo. Foi muito bom. Mas vamos continuar juntos, e agora com o Reynaldo”, completou.

Passanezi Filho, por sua vez, destacou o desafio de liderar a companhia e enalteceu as mudanças feitas na estatal no último ano. “Tenho um respeito imenso às conquistas já alcançadas. Vamos seguir na linha mestra do planejamento estratégico. Meu compromisso é engrandecer ainda mais a Cemig e prestar serviço à sociedade com qualidade e preços competitivos”, ressaltou.

PUBLICIDADE




O novo presidente possui graduação e doutorado em Economia pela Universidade de São Paulo (USP), mestrado em Economia pela Universidade de Campinas (Unicamp), graduação em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), além de especialização em Gestão, Liderança e Inovação pela Universidade de Stanford (EUA). Possui carreira sólida em posições executivas no setor elétrico, no setor financeiro e passagens pelo setor público. Possui, ainda, ampla experiência em reestruturações empresariais, fusões e aquisições, com conhecimento profundo de América Latina e de infraestrutura.

Em comunicado ao mercado, a companhia agradeceu formalmente a Belini pela atuação como presidente/CEO, destacando seu mandato pela revisão do planejamento estratégico do grupo e efetividade na implementação de programas em vistas de acelerar a otimização da alocação de capital e a recuperação econômico-financeira do grupo, com ênfase em ganho de eficiência operacional e melhoria no atendimento aos clientes.

No mesmo documento, a estatal elogiou o ingresso de Passanezi Filho destacando a experiência acadêmica e profissional do executivo que “representa a certeza de sucesso da Cemig na criação de valor para seus stakeholders”.

No discurso de despedida, Belini destacou os feitos de sua gestão. Segundo ele, em 2019, a Cemig se aprumou e está novamente lucrativa, dispondo de uma estrutura mais enxuta e eficiente. Ele destacou ainda que praticamente foram zeradas as obras em atraso, que eram 39.000 no início do ano passado, e que a dívida foi reperfilada e seu custo reduzido. Além disso, a redução administrativa permitiu redução de 25% dos cargos de liderança.

“A Cemig conseguiu equacionar um plano de investimento para o atual ciclo (até 2022), de R$ 8,2 bilhões. Lançamos, ainda, a Cemig SIM, empresa de geração distribuída e soluções de energia – segmento que será uma peça determinante do novo mercado de energia”, finalizou.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!