COTAÇÃO DE 06/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3640

VENDA: R$5,3650

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3470

VENDA: R$5,5200

EURO

COMPRA: R$6,4639

VENDA: R$6,4668

OURO NY

U$1.786,86

OURO BM&F (g)

R$309,04 (g)

BOVESPA

+1,57

POUPANÇA

0,1590%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Poder público lança projeto para destravar obras em Minas

COMPARTILHE

Comitê Interinstitucional foi criado por meio de portaria assinada ontem por Romeu Zema e Gilson Soares | Crédito: Gil Leonardi / Imprensa MG

Foi lançado ontem, pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o programa Destrava – Minas Avante, que tem como objetivo retomar obras públicas suspensas por conta de problemas estruturais e/ou ambientais. A ideia é buscar soluções por meio de negociações e diálogos com as partes envolvidas e, assim, trabalhar rumo ao desenvolvimento do Estado.

Nesse cenário, ficará a cargo da Advocacia-Geral do Estado (AGE-MG) o levantamento das decisões judiciais que em caráter liminar resultaram na suspensão das obras em Minas Gerais e que tenham impacto em políticas públicas essenciais.

PUBLICIDADE

Os dados serão apresentados ao Comitê Interinstitucional, instituído por meio de uma portaria assinada também ontem pelo governador Romeu Zema (Novo), pelo TJMG, pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) e pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Posteriormente, o Comitê encaminhará informações para os Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejuscs).

Dados do TCE-MG dão conta de que há 713 obras paralisadas no Estado e um total executado de R$ 1,4 bilhão. Os números também revelam 3.571 obras em andamento e um total executado de R$ 6,8 bilhões.

Durante o evento de ontem, Zema ressaltou a importância dessa ação para a maior eficiência do Estado.

“O desenvolvimento econômico e social é um processo complexo. São milhares de pequenas ações, como esta, que, ao final de décadas — e não de anos —, irão propiciar que tenhamos um Estado mais eficiente para atender ao cidadão. O que estamos fazendo aqui não só vai resolver o estoque de obras paradas referente ao passado, como também evitará que novos fatos como esses se repitam”, disse ele, de acordo com informações da Agência Minas.

Medida bem-sucedida – Presidente do TJMG, o desembargador Gilson Soares Lemes também ressaltou os benefícios da ação.

“Trata-se de um programa que fará um minucioso mapeamento, e se desdobrará em ações na busca de medidas para que esses empreendimentos sejam retomados. Essa é uma iniciativa que já nasce bem-sucedida, pois representa a união de diversas esferas do poder público, em um esforço de cooperação conjunta em prol do bem comum. A parceria entre instituições para solucionar controvérsias que impedem importantes progressos em Minas Gerais é uma responsabilidade coletiva que abraçamos”, afirmou, conforme informações da Agência Minas.

O Destrava – Minas Avante foi criado por conta do grande número de obras paradas no Estado, que têm impactos relevantes tanto no desenvolvimento social quanto no desenvolvimento econômico de Minas Gerais.

Além disso, também surgiu da orientação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para que a Justiça adote soluções concordantes no que diz respeito aos conflitos. No ano passado, inclusive, o CNJ lançou o “Destrava – Programa Integrado para a Retomada de Obras”, que tem como objetivo retomar aproximadamente 4 mil obras que estão paralisadas em todo o País.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!