COTAÇÃO DE 16 A 18/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4540

VENDA: R$5,4540

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4700

VENDA: R$5,6130

EURO

COMPRA: R$6,3181

VENDA: R$6,3210

OURO NY

U$1.767,23

OURO BM&F (g)

R$309,68 (g)

BOVESPA

+1,29

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Pressionado pelo aumento do preço da gasolina, IPCA-15 avança 1,09% na RMBH

COMPARTILHE

Preço da gasolina aumentou 12,66% na primeira quinzena | Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O aumento dos preços dos combustíveis deve atingir em cheio a inflação na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Conforme a prévia divulgada ontem, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) avançou 1,09% em março na comparação com fevereiro. O crescimento foi o quinto maior entre as 11 áreas verificadas, atrás somente de Belém (1,49%), Brasília (1,44%), Goiânia (1,40%) e Curitiba (1,22%).

Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e revelam ainda que no acumulado de 12 meses, a alta da inflação já chegou a 6,15% na RMBH. O resultado é maior, inclusive, do que a média nacional na mesma base de comparação (5,52%).

PUBLICIDADE

Os números da entidade mostram que o maior impacto individual positivo no índice foi o da gasolina, que apresentou aumento de 12,66% em março. Dentro do grupo transportes, que teve alta de 5,08%, também tiveram incremento o etanol (20,58%), o óleo diesel (13,14%), o seguro voluntário de veículo (6,39%) e o transporte por aplicativo (5,73%).

“O que mais puxou o resultado foi o grupo transportes. A gasolina teve o maior impacto, pois tem um peso muito grande no índice”, afirma a analista do IBGE, Luciene Longo.

De acordo com o professor de economia do Ibmec Paulo Casaca, essa alta na inflação puxada pelos combustíveis não foi uma surpresa.

“Já era mais do que esperado que o combustível seria o principal fator que elevaria o IPCA neste mês, conforme os movimentos anteriores que já estávamos vendo”, afirma ele.

A alta da inflação, porém, não teve só o grupo transportes como motivo. Ainda de acordo com o IBGE, os artigos de residência avançaram 1,45%, com destaque para o móvel para quarto (2,86%).

Já o grupo habitação apresentou alta de 0,91%, puxada pelo preço do gás de botijão (4,82%), do aluguel residencial (1,06%) e da energia elétrica residencial (0,33%).

Também contribuiu para o aumento da inflação em março o grupo saúde e cuidados pessoais (0,51%), com destaques para plano de saúde (0,69%) e perfume (2,79%). O grupo vestuário, por sua vez, avançou 0,08%.

Alimentos

Se, por um lado, a alta dos combustíveis vem impactando a inflação, por outro, já se vê números negativos no grupo alimentação e bebidas, como destaca Luciene Longo. Em março, conforme o IPCA-15, houve queda de 0,43%. “Os alimentos vinham aumentando, mas neste mês houve redução no grupo”, diz ela.

Conforme os dados do IBGE, os impactos mais representativos nesse grupo foram verificados em tubérculos, raízes e legumes (-15,70%) e alimentação no domicílio (-0,78%). Também houve diminuição de preços da maçã (-26,19%) e da banana prata (-7,91%). Por outro lado, pão francês (1,97%) e acém (4,58%) apresentaram alta.

Paulo Casaca, do Ibmec, destaca que a redução dos preços do grupo alimentação e bebidas está relacionada à diminuição da demanda, ocasionada pelo fim do auxílio emergencial. Luciene Longo também cita que é possível que esse fator tenha impactado a demanda. Ela ainda ressalta que os preços de alguns itens foram impactados por questões sazonais.

Sobre a inflação nos próximos meses, Casaca diz que ainda há um quadro de incertezas. Além disso, ele lembra que a velocidade da vacinação contra a Covid-19 é importante para a recuperação da economia.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!