COTAÇÃO DE 07/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2280

VENDA: R$5,2290

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2070

VENDA: R$5,3830

EURO

COMPRA: R$6,3509

VENDA: R$6,3522

OURO NY

U$1.831,42

OURO BM&F (g)

R$307,84 (g)

BOVESPA

+1,77

POUPANÇA

0,2019%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque

Setor da construção pesada prevê retração em 2020

COMPARTILHE

Atualmente, o setor executa, praticamente, apenas obras consideradas essenciais | Crédito: Ricardo Lima - Prefeitura de Contagem - Divulgação

Este ano era para ser de recuperação para a indústria da construção pesada em Minas Gerais. Porém, a pandemia do Covid-19 fez com que as perspectivas para 2020 sejam, agora, de queda, de acordo com o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Pesada no Estado de Minas Gerais (Sicepot-MG), Emir Cadar. No entanto, ainda é difícil precisar quanto os números deverão cair.

Atualmente, o setor executa, praticamente, apenas obras consideradas essenciais, como as de manutenção rodoviária. No Estado, diz Cadar, muitas prefeituras paralisaram as obras, enquanto outras diminuíram bastante o ritmo. Em meio às empresas privadas, também houve reduções.

PUBLICIDADE

“A pandemia atingiu a todos em cheio. Os gastos relacionados ao Covid-19 agravaram um quadro financeiro que já era ruim. Hoje, o que há, na maior parte dos casos, são investimentos pontuais”, diz ele.

Diante desse cenário, a construção pesada em Minas Gerais não teve alternativas a não ser recorrer a algumas ações, como as demissões. Apesar disso, porém, Cadar afirma que a perda dos postos de trabalho na área não foi tão significativa como em diversos outros setores da economia.

Expectativas – O cenário é ainda de muitas incertezas. Porém, o presidente do Sicepot-MG diz que a espera é de que a retomada já comece no meio do segundo semestre, por volta do mês de setembro.

O que pode contribuir para um quadro mais promissor é o novo marco do saneamento (PL 4.162/2019), aprovado no último dia 24 pelo Senado Federal. Entre as principais mudanças está a possibilidade de o segmento de saneamento receber investimentos também de empresas privadas.

“Com isso, teremos impactos positivos. Vai abrir uma livre concorrência para o setor. Teremos novas empresas entrando para a área. Vai gerar uma nova onda de investimentos para o saneamento”, diz.

Histórico – A construção pesada já vinha sofrendo bastante ao longo do tempo, conforme Emir Cadar já havia dito para o DIÁRIO DO COMÉRCIO no começo deste ano. Desde 2014, já se registravam perdas no setor.

Isso ocorre com uma atividade, diz o presidente do Sicepot-MG, que pode ser vista como o carro-chefe da economia, uma vez que gera um grande número de empregos e movimenta a economia do País.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!