Protocolo de intenções assinado ontem pela empresa prevê implantação de usinas em 9 municípios - Crédito: Cemig Divulgação

Os investimentos da Solatio Energia na construção de usinas de geração solar fotovoltaica em Minas Gerais poderão chegar a R$ 28 bilhões nos próximos quatro anos. Deste total, a empresa já formalizou, via protocolo de intenções assinado com o governo do Estado, R$ 19,6 bilhões. O restante será aportado por meio de aditivos futuros.

As informações são do presidente da Solatio, Pedro Vaquer. Segundo ele, ao todo, serão mais de 9,2 gigawatts (GW) de potência. Deste total, a empresa já tem 800 megawatts (MW) construídos para o mercado cativo e finalizará ainda neste mês outros 113 MW de geração distribuída. “E para o ano que vem teremos outros 200 megawatts”, disse.

Procurada, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico informou que o protocolo de intenções assinado ontem prevê a implantação de usinas fotovoltaicas em nove municípios mineiros, totalizando 6.552 MW de potência, sob os investimentos de R$ 19,6 bilhões.

Ainda conforme a Pasta, os empreendimentos serão instalados em Araxá (120 MWp), Arinos (1.300 MWp), Buritizeiro (650 MWp), Coromandel (80 MWp), Francisco Sá (122 MWp), Jaíba (310 MWp), Janaúba (1.500 MWp), Paracatu (420 MWp) e Várzea da Palma (2.050 MWp).

Somente os empregos diretos deverão somar mais de 3,2 mil. O cronograma prevê o início da implantação para janeiro de 2021 e das operações, em janeiro de 2022.

Abundância – Em julho, o governador Romeu Zema (Novo) anunciou o projeto pelas redes sociais. Em vídeo em que aparece ao lado do presidente da Solatio, ele afirmou que, com o investimento, Minas Gerais se tornaria o Estado com mais abundância de energia e provavelmente o mais competitivo no setor também.

“Teremos o equivalente à metade da potência da Usina de Itaipu, somente não será igual pois não é possível produzir energia solar a noite”, disse, na época, em referência aos 14 mil MW da principal usina hidrelétrica do País, localizada no Paraná.

Não é de hoje que Minas Gerais tem se tornado referência na geração de energia fotovoltaica. Em Pirapora, no Norte de Minas, já está em operação a maior usina solar da América Latina e a terceira do mundo, com potência instalada de 406 MW, e em Paracatu há outra unidade com capacidade instalada de potência de 156 MW.