COTAÇÃO DE 15/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2370

VENDA: R$5,2380

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2600

VENDA: R$5,4070

EURO

COMPRA: R$6,2090

VENDA: R$6,2103

OURO NY

U$1.793,52

OURO BM&F (g)

R$303,17 (g)

BOVESPA

-0,96

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia zCapa

Saldo da balança comercial mineira acumula superávit de US$ 14,835 bi

COMPARTILHE

Crédito: REUTERS/Paulo Whitaker
Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

O saldo da balança comercial mineira registrou superávit de US$ 14,835 bilhões no acumulado dos 11 primeiros meses de 2019, de acordo com os dados divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério da Economia. O resultado foi 8,53% maior do que os US$ 13,669 bilhões apurados em igual época do ano passado.

Quando considerado o volume transportado, houve retração de 12,91% sobre o mesmo intervalo de 2018. Enquanto no acumulado de janeiro a novembro deste ano a diferença entre exportações e importações somou 120.433 milhões de toneladas, nos 11 meses de 2018 chegaram a 138.292 milhões de toneladas.

PUBLICIDADE

Apenas no mês passado, as cifras do comércio exterior do Estado apresentaram queda de 18,66% e os volumes transportados, de 26,83%, sempre na comparação com novembro de 2018. O superávit do décimo primeiro mês deste ano chegou a US$ 9,49 bilhões e no mesmo mês do exercício passado foi de US$ 12,97 bilhões. Os volumes foram de 9,49 mil toneladas contra 12,97 mil toneladas, respectivamente.

Quanto às exportações, somente o valor no acumulado de 2019 registrou alta. No acumulado dos 11 primeiros meses do ano somaram US$ 23,079 bilhões, representando alta de 4,52% sobre os US$ 22,079 bilhões do ano anterior.

Em termos de volumes, as exportações no ano somaram 130 milhões de toneladas, contra 148 milhões de toneladas no exercício passado, uma queda de 12,2%.

Somente em novembro, as exportações somaram US$ 1,956 bilhão neste ano e US$ 2,203 bilhões em 2018. O resultado representa uma retração de 11,2%

Produtos – Os embarques de minério de ferro somaram US$ 7,393 bilhões nos primeiros 11 meses de 2019. Na mesma época de 2018 foram US$ 6,165 bilhões. Isso significa aumento de cerca de 20% entre os períodos.

Minas embarcou, entre janeiro e o mês passado, 114,4 milhões de toneladas de minério. Na mesma época de 2018 este número chegou a 128,2 milhões de toneladas. Uma queda de 10,7%. Ainda assim, o insumo siderúrgico continuou como principal produto da pauta de exportações do Estado.

No mês, os valores das exportações do insumo siderúrgico mantiveram a curva de crescimento (2,43%), com US$ 588 milhões, mas os volumes apresentaram baixa de 18%. Ao todo foram embarcadas 9,084 milhões de toneladas no mês passado, contra 11,893 milhões de toneladas em novembro de 2018.

Já as remessas de café ao exterior aumentaram em quantidade e rendimento. O Estado embarcou 1,473 milhão de toneladas até o mês passado contra 1,117 milhão de toneladas em 2018. Isso equivale a um aumento de 31,8% entre os períodos. Já em receita, a commodity rendeu US$ 3,181 bilhões sobre US$ 2,766 bilhões, alta de 15% em igual confronto.

No mês, o volume chegou a 148 mil toneladas contra 170 mil toneladas em novembro do ano passado. Já as cifras foram de US$ 323 milhões sobre US$ 377 milhões, baixa de 14,3%.

Importações – No que se refere às importações, houve baixa no valor gasto por Minas Gerais no acumulado de janeiro a novembro deste ano. Nos onze meses de 2019 foram US$ 8,244 bilhões e em igual período de 2018, US$ 8,41 bilhões. Isso representa queda de 1,97% entre os períodos. Em volume, o Estado somou 9,575 milhões de toneladas importadas neste ano e 9,790 milhões de toneladas no ano passado, uma queda de 2,1%.

Em novembro deste ano, foram gastos US$ 784 milhões para a compra de 856 mil toneladas de produtos. No mesmo mês de 2018 os números foram de US$ 762 milhões e 916 mil, respectivamente.

O produto mais comprado por Minas Gerais no mercado internacional foi a hulha betuminosa, que é o carvão mineral, usado nos altos-fornos de usinas instaladas no Estado. Ao todo foram aportados US$ 577 milhões nos 11 primeiros meses deste ano, valor 630% maior que na mesma época de 2018, quando apenas US$ 79 milhões haviam sido destinados. No mês, foram US$ 21 milhões para a compra de 133 mil quilos do insumo.

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!